VidMonsters
Por VidMonsters

Descubra como funciona o algoritmo do YouTube e melhore o ranqueamento dos seus vídeos

VidMonsters
Por VidMonsters

Você já ouviu falar do algoritmo do YouTube? Sabe como a plataforma classifica e ranqueia os conteúdos? É o que você vai aprender neste artigo!

Atingir um grande número de visualizações em um vídeo é o desejo de todos os criadores de conteúdo do YouTube. De modo geral, quanto mais engajamento o conteúdo tiver, melhor ele será ranqueado. E, consequentemente, maior será a chance de outras pessoas o encontrarem.

No entanto, nem todos os vídeos postados alcançam o mesmo de sucesso. Isso acontece por influência de diversos fatores que ajudam ou atrapalham a repercussão das postagens de um canal. Esses critérios são determinados por uma programação interna da plataforma, comumente chamada de algoritmo do Youtube. E entender seu funcionamento é fundamental para aqueles que procuram ascensão dentro do YouTube.

Quer saber como a plataforma ranqueia os conteúdos e quais os critérios que ela leva em consideração? Então continue lendo este artigo e entenda o funcionamento do algoritmo do YouTube.

O que são os algoritmos do YouTube

Antes de saber como o YouTube classifica os conteúdos, é importante entender o que é, afinal, um algoritmo.

De acordo com o dicionário, algoritmo é um conjunto de regras e procedimentos lógicos que levam à solução de um problema. Na linguagem de programação, esse conjunto de regras e procedimentos é formado por centenas de linhas de códigos. E na era da automação em que vivemos, o desenvolvimento de algoritmos é fundamental.

Assim, podemos entender o algoritmo do YouTube como as linhas de código responsáveis pela verificação de conteúdo, otimização da plataforma e implementação de melhorias. É por meio desse algoritmo que um vídeo é analisado, organizado e sugerido para usuários que buscam materiais semelhantes.

Esse algoritmo tal qual como é hoje foi inspirado no algoritmo que o Google utiliza em seu buscador para ranquear páginas da web. O que não é por acaso, já que em 2006 a empresa comprou o YouTube em uma transação de mais de 1,65 bilhões de dólares.

Por que é importante entender o algoritmo do YouTube

Para ter um canal de sucesso, é importante entender em profundidade o que é e como funciona o algoritmo do YouTube.

Afinal, é esse código o responsável por identificar padrões de consumo dos usuários, como o tipo de busca, vídeos assistidos, avaliações, comportamentos, entre outros. Com base nessas informações, o algoritmo sugere conteúdos semelhantes e recomendar canais que se enquadram no perfil do usuário.

O objetivo da plataforma com essa prática é estimular o engajamento entre os criadores (ou youtubers) e os usuários, além de aumentar o tempo de permanência das pessoas no site.

Porém, ninguém, a não os engenheiros de programação do Google, sabe ao certo quais os requisitos, rotinas e regras do algoritmo do YouTube. E nada indica que a plataforma pretende liberar informações tão preciosas como essas.

No entanto, análises e experimentações indicam uma relevância de quatro fatores que, se bem aplicados, ajudam no ranqueamento do vídeo. E é o que veremos ao final do texto.

O que o SEO para YouTube tem a ver com o algoritmo?

Da mesma forma que é possível otimizar um site, para que ele apareça bem posicionado nas ferramentas de busca com as técnicas de SEO (Search Engine Optimization), os vídeos do YouTube também podem utilizar SEO para alcançarem melhores posições nos resultados de busca.

É necessário ficar atento ao uso de palavras-chave, inclusive no nome do arquivo. É assim que o YouTube identifica o foco do vídeo e o sugere para usuários que procuram por algo semelhante.

Uma vez que o upload tenha sido feito, é o momento de criar o título e a descrição do vídeo. É importante ir direto ao ponto, já que apenas uma pequena parte dos caracteres disponíveis aparecerá nos resultados de pesquisa.

Além disso, faça o uso de tags. Ao todo, o YouTube recomenda o uso de 120 caracteres, ou cerca de 15 palavras. Então, aproveite este espaço para inserir mais palavras-chave sobre o tema. Se preferir, confira tags usadas em vídeos bastante visualizados sobre o mesmo tema e procure utilizar algumas delas.

E não pense que essa preocupação é à tao, afinal o YouTube se transformou no segundo maior buscador da internet. Por isso, utilize as técnicas de SEO para que algoritmo classifique bem os seus vídeos. E, acima de tudo, para que a audiência consiga encontrar os seus conteúdos sempre que realizar uma pesquisa.

Como funciona o algoritmo do YouTube para o ranqueamento

Apesar de não ser divulgado pelo Google, estudos apontam que o algoritmo do YouTube analisa quatro métricas principais para determinar a relevância de um vídeo.

Estas métricas são a duração de acesso – ou tempo de sessão –, watchtime (tempo assistido, em tradução livre), as avaliações e a frequência de publicação de vídeos novos.

A seguir, vamos abordar e explicar cada uma dessas quatro métricas.

Youtube 

1. Tempo de sessão

O tempo de sessão compreende dois momentos. Eles são chamados de session start (começo da sessão) e o session end (final da sessão).

A primeira fase tem início quando o usuário entra no site, por meio de um vídeo, enquanto a última representa a saída dele, por causa de um link externo.

Para o algoritmo do YouTube, acessos vindos de outras páginas da internet são interessantes. Logo, quanto maior for o fluxo recebido, mais relevante aquele vídeo se torna para o algoritmo.

Por outro lado, quando uma publicação leva a audiência da plataforma para outros sites, o alcance é reduzido. Para o YouTube, a permanência do público é muito importante. O que nos leva ao próximo tópico.

2. Watchtime ou tempo de visualização dos vídeos

Atualmente, o tempo que um usuário passa assistindo aos vídeos é uma das principais métricas avaliadas pelo algoritmo. Podemos dizer que o tempo de visualização de um vídeo é mais importante que o número de views em si. Afinal, esse dado demonstra com precisão o interesse do público pelo conteúdo.

Neste casos, a duração do vídeo não é o principal ponto, mas sim a proporção desse tempo que é assistido pela audiência.

Por exemplo: um vídeo com título e thumbnail apelativas podem atrair muitas visualizações. Porém, se o conteúdo não for interessante, os usuários fecharão o vídeo logo no começo. E isso acaba diminuindo a taxa de tempo assistido.

Dessa forma, o algoritmo entenderá que o público não possui interesse naquele tipo de conteúdo, que deixará de ser sugerido.

3. Avaliações dos vídeos – likes e dislikes

As avaliações de um vídeo no YouTube são mensuradas pela quantidade de likes e dislikes que o conteúdo recebe. Este é o feedback mais rápido que o criador de conteúdo tem para analisar a percepção do público acerca do vídeo.

Um vídeo com muitas avaliações será impulsionado pelo algoritmo, mesmo que a maior parte delas seja negativa.

Pois essa métrica analisa o engajamento da audiência com o conteúdo. E quanto maior o engajamento com algum vídeo na plataforma, mais tempo as pessoas passarão na plataforma.

4. Frequência das postagens

Outro fator importante, para o algoritmo do Youtube, é a frequência de postagens de conteúdo por um canal.

Atualmente, considera-se que publicar um vídeo por semana no YouTube é uma frequência regular ideal. Isso indica para o algoritmo que o canal possui consistência de publicações, já que em toda semana haverá ao menos um vídeo inédito.

Muitos criadores, além de postarem mais de um vídeo por semana, estabelecem a hora em que eles estarão disponíveis. Assim, seus inscritos podem esperar por um conteúdo novo naquele dia e horário.

Conclusão

Apesar de esses quatro fatores serem os que mais influenciam o desempenho de um vídeo, é necessário ficar atento às mudanças. Pois alterações na estrutura do algoritmo podem acontecer (e acontecem) sem aviso prévio.

Um exemplo disso era a importância dada aos vídeos com grande número de visualizações. No passado, o sistema privilegiava apenas os conteúdos mais populares do YouTube, tornando os vídeos menos vistos pouco recomendados.

No entanto, atualmente, a métrica mais importante não é o número de visualizações, mas o tempo médio que os usuários passam, assistindo ao vídeo. Para ranquear bem no Youtube, também é importante conhecer bem as técnicas de SEO da plataforma. Assim como falamos, neste artigo.

Por isso, a nossa dica final, para que você continue a aprender e se desenvolver neste tema, é ler o nosso artigo sobre SEO para vídeos. Conheça dicas e técnicas importantes, para ranquear bem o seu vídeo no Google.