Loading Posts...

Quer sair do convencional e criar um conteúdo em vídeo mais didático, que encante e desperte interesse de seu público? Que tal investir em Motion Graphics? Para ajudar você nessa empreitada, criamos este conteúdo, onde você aprenderá:

Vamos lá?

Em um passado, não tão distante, a internet começava a ser bombardeada de conteúdos em vídeos que acabavam ficando sempre no mesmo padrão. Ou seja, animações simples, com excesso de texto e imagens estáticas.

Mas graças à popularização da internet e das novas plataformas de vídeos, como YouTube, as empresas viram a necessidade de inovar para manter o público e atrair mais pessoas.

Por isso, instituições, cantores e canais de televisão passaram a investir no Motion Graphics para apresentar um conteúdo mais envolvente ao espectador.

O que é Motion Graphics

O Motion Graphics, em tradução livre para o português, significa grafismo em movimento. É um recurso audiovisual que reúne design de animação, design gráfico e criatividade.

Ou seja, através dessa técnica, é possível criar vídeos animados com elementos gráficos, como formas, cores e linhas, que ganham vida e se movimentam pela tela, contando uma história.

O Motion Graphics é bastante utilizado em produções de cinema e TV, sendo uma das maiores tendências em animação. É possível ver essa técnica sendo empregada em vinhetas, vídeos institucionais e até em propagandas. Afinal, é um método bastante versátilbarato e fácil de fazer.

Você pode compreender a importância do Motion Graphics assistindo a este vídeo:

Lernz—WALK from Animade

História do Motion Graphics e motivos do sucesso

Georges Mélies, no século XIX, usava algumas técnicas de stop motion em seus filmes. Essas técnicas inspiraram o surgimento dos Motion Graphics anos mais tarde. 

Mas havia um empecilho para a época: realizar esse tipo de trabalho levava tempo e era necessário ter paciência para que tudo saísse perfeito. Como eram feitos manualmente; se algo saísse errado, era preciso fazer tudo novamente.

Com o avanço da tecnologia,o Motion Graphics foi aperfeiçoado. Assim, foi possível utilizar efeitos mais criativos nos filmes. Atualmente, já existem diversas produções utilizando essa técnica.

Por que o Motion Graphics faz tanto sucesso

Inicialmente, os Motion Graphics eram utilizados somente em banners animados. Mas hoje, com a popularização dos vídeos, as pessoas perceberam a necessidade de oferecer algo novo e cativante aos espectadores. 

Assim, alguns produtores de conteúdo passaram a utilizar essa técnica para atrair uma audiência ainda maior. Canais do YouTube como Nostalgia, Pipocando e Nerdologia já utilizam essa técnica há algum tempo.

Além desses YouTubers, o canal do Banco Itaú, também faz o uso de Motion Graphics nos vídeos e em comerciais veiculados na TV. Tudo com o intuito de deixar o conteúdo mais leve, divertido e fácil de compreender pelo público. Como no exemplo abaixo:

Por que usar Motion Graphics? 

A tecnologia caminha a passos largos e a sua empresa precisa acompanhar essa evolução. Afinal, ficar estagnado passa a ideia de amadorismo, prejudicando a credibilidade e reputação da empresa.

Por isso, apostar no uso dos Motion Graphics na produção de vídeos pode ajudar a sua marca a se destacar no mercado. Confira cinco que fazem dessa técnica um ótimo investimento:

  • São mais fáceis de produzir;
  • São mais atrativos e divertidos do que outros formatos;
  • São mais leves e mais fáceis de ser compreendidos;
  • Motion Graphics reduzem custos, já que não exigem equipamentos caros ou uma equipe de atores; 
  • Despertam o interesse do público e, por isso, têm mais chances de serem compartilhados. Assim, o alcance e o engajamento da marca aumentam.

Conheça  os 12 princípios da animação

Para apresentar os princípios da animação, utilizaremos imagens do livro Disney Animation — The Illusion of Life. Ele vale a leitura para quem quer começar a fazer vídeos animados.

1. Squash and Stretch

motion graphics

Squash and Stretch, conhecido como “puxa e estica”, é muito utilizado na técnica de Motion Graphics. Ela ajuda a dar mais realismo para as cenas. Um exemplo muito comum utilizado em filmes é quando um personagem cai e o corpo dele fica achatado no chão.

É, com certeza, o conceito mais importante dessa técnica. Ele considera a forma como os seres se deslocam e as alterações que ocorrem durante o movimento. Através dessa técnica, é possível dar mais vida ao rosto de um personagem, já que ele passa a ter expressões faciais.

2. Antecipação 

motion graphics

Assim como na vida real, a animação usa a antecipação para mostrar ao espectador o que acontecerá em seguida. Ou seja, o que o personagem irá fazer e como irá realizar esse movimento.

3. Encenação

motion graphics encenação

Os conteúdos em Motion Graphics utilizam a encenação do personagem. Através dela é possível transmitir as emoções, ações e as situações com mais objetividade de modo que o espectador entenda facilmente o que está acontecendo.

4. Animação Pose -a-pose ou Direita  

Existem dois métodos para animar uma cena: a “direta” (straight ahead) e a “pose a pose”.

a) Direta

motion graphics

Esse recurso é utilizado para construir uma cena. Nela são realizados os principais movimentos de um personagem, como: sentar, ficar em pé ou pular.

Através dessas posições, o animador monta quadros de transição e anima o personagem frame a frame, podendo dar novos movimentos à criação enquanto a desenha. Geralmente é usado em cenas de ação, já que ocorrem movimentos rápidos e que não são esperados.

b) Pose-a-pose 

motion graphics

Nesse método, por sua vez, o animador tem mais controle sobre a ação. O resultado final também é um pouco mais claro, já que menos desenhos são utilizados.

Geralmente, os intervalos entre os extremos da ação são preenchidos por um intervalador, assistente do ilustrador principal.

5. Sobreposição e continuidade da ação

motion graphics continuidade e sobreposição

A sobreposição é uma ação continuada do trabalho que estava sendo desenvolvido.

Para que os movimentos do Motion Graphics fiquem mais naturais, os desenhistas vão além de “somente desenhar”. Eles trabalham as leis da física para que as partes do corpo ou do objeto movam-se em uma velocidade específica. O que é notável, quando em algum filme ou desenho o personagem sofre uma parada brusca, por exemplo.

 6. Aceleração ou desaceleração

motion graphics

Os movimentos de aceleração e desaceleração são o que definem a velocidade inicial e final de cada personagem. Para que a animação desperte o interesse do público e tudo saia como planejado, é importante que cada quadro coincida com o tempo gasto pelo personagem para realizar a ação.

7. Movimento em forma de arco

motion graphics

Tanto na vida real quanto no audiovisual, os movimentos dos objetos e seres vivos são realizados através de movimentos circulares. Desta maneira, para dar mais realismo e naturalidade para as ações, é fundamental incluir os movimentos em arco.

8. Ação secundária

motion graphics ação secundária

Nesta técnica, objetos e personagens são inseridos em cenas que envolvem outras ações acontecendo ao mesmo tempo. Um exemplo clássico é quando um palhaço faz malabarismo enquanto anda de triciclo. Apesar de serem movimentos diferentes, fazem parte da mesma história.

9. Temporização

motion graphics timing

A temporização diz respeito à velocidade da ação.

Por exemplo, para representar um movimento lento, é preciso desenhar um número maior de quadros entre o início e fim da ação. Por outro lado, para dar a sensação de velocidade, um número menor de quadros é necessário.

Essa técnica permite com que os movimentos pareçam mais reais, como se obedecessem às leis da física.

10. Exagero

motion graphics exagero

Através do exagero, o animador consegue dar emoção e mostrar um pouco mais da história ao público. Para que não seja nada muito fora do padrão das animações, é necessário que as expressões faciais sejam mais simples e suaves. Afinal, é por meio da imagem que o espectador consegue captar o que está sendo passado na tela. 

11. Desenho Volumétrico

motion graphicsO desenho volumétrico permite que os animadores criam desenhos que transmitem a ilusão de volume e profundidade. Assim, o espectador tem a sensação de que os personagens são mais realistas e “tridimensionais”.

12. Apelo

motion graphics design atraente

O apelo é quase a mesma coisa que o carisma de um ator. Afinal, o personagem precisa ser real e interessante, pois é dessa maneira que ele poderá cativar o público. Em outras palavras, é quando os personagens, mesmo não sendo modelos de beleza e bondade, conquistam a empatia do público. 

Agora que você já aprendeu e está convencido de fazer Motion Graphics, clique aqui e descubra o que é storytelling e como usar no vídeo marketing.  Desejamos sucesso em seus  conteúdos em vídeos.

Redação VidMonsters

Loucos por marketing e vídeos!