Loading Posts...

Se você já utilizou o YouTube alguma vez, como usuário comum, deve ter tido contato com uma campanha de vídeo. As campanhas de vídeo são anúncios que podem aparecer de diversas formas, uma delas é quando damos play em um vídeo.

Existem diversos tipos de campanha de vídeo e a escolha deve sempre considerar o que a empresa quer atingir, se comunicando de forma rápida e sendo bem assertivo na mensagem, afinal, em alguns modelos de anúncios, o tempo de uma campanha é bem curto.

Por outro lado, as campanhas de vídeo têm mais chances de atrair a atenção do cliente para que ele veja o vídeo até o fim e, posteriormente, clique no CTA. Para isso, basta investir nos minutos (ou segundos) iniciais do vídeo.

Você quer outras dicas para criar a sua campanha de vídeo? Então continue lendo este texto e veja o passo a passo completo que preparamos.

Como fazer uma campanha de vídeo?

Se você chegou até este conteúdo é porque você já tem ou está pensando em criar um canal no YouTube, certo?

Nesse caso, vamos considerar que você já sabe que antes de criar uma campanha de vídeo é necessário ter um canal (estar cadastrado como usuário do YouTube), caso contrário não será possível subir o seu material e criar uma campanha com ele.

Antes de começar a sua campanha de vídeo dê uma analisada em seu canal, verifique se ele foi criado com a segmentação correta sobre a sua marca, além de analisar o SEO do canal como um todo, por exemplo se a descrição e o nome do canal têm as palavras-chave relevantes para o seu segmento, se tem uma capa atrativa e que represente bem do que o seu canal se trata, etc.

A seguir você vai ver o passo a passo completo para criar a sua campanha de vídeo.

Passo a passo para fazer uma campanha de vídeo

1. Desenvolvendo a estratégia

Antes de mais nada, crie uma estratégia para a sua campanha de vídeo. Informe-se sobre os formatos de anúncios que o YouTube oferece, com base nisso, faça uma lista com as possibilidade de vídeo que você pode produzir, de acordo com o formato de anúncio escolhido.

Defina tudo, roteiro, profissionais que vão participar, elementos, textos, diálogos, enfim, é importante pensar em tudo mesmo.

Caso você tenha escolhido um anúncio TrueView, por exemplo, seu vídeo deve ser atrativo desde o início, para prender o usuário e fazer com que ele clique em seu CTA.

2. Produza o vídeo

Agora é o momento de colocar a criatividade em ação e executar as melhores ideias para o seu vídeo.

Não sabe como fazer um vídeo?

Você tem duas opções: contratar um profissional ou ver todas as dicas em nosso blog e produzir sozinho.  

3. Faça upload do vídeo

Vídeo salvo, tudo como planejado, agora é o momento de subir ele no YouTube. Você pode subir um ou mais vídeos, da mesma forma que subiria um vídeo que não seria patrocinado.

4. Você precisa ter uma conta no AdWords

A conta do AdWords não é a mesma do seu canal, é uma conta separada e você precisará dela para criar o anúncio. Depois de conectar ou criar a sua conta no AdWords, será preciso vincular a conta com o seu canal.

Para conectar uma à outra, acesse as configurações avançadas do seu canal e na aba “Link um AdWords a uma conta de vídeo” terá um link com o seguinte nome “link uma conta AdWords”, clique nele e pronto.

Você receberá um e-mail de confirmação logo na sequência, faça os passos recomendados e suas contas serão conectadas.

Se ficar com dúvidas nesse momento, clique neste link do Google, onde você encontra tudo bem explicadinho.

5. Defina lances e ofertas

O ideal para as campanhas de vídeo no YouTube é sempre escolher o Custo por Visualização (CPV).

Nós vamos falar sobre isso mais tarde, neste mesmo texto, mas só para você entender melhor, o CPV é um tipo de campanha onde a empresa só paga pela quantidade de visualizações que um vídeo teve.

Já ouviu falar sobre o Custo por Click (CPC) da rede de pesquisa do Google? É bem parecido.

Depois você precisa definir o valor do seu CPV, ele deve ser suficiente para chegar até o seu público.

Caso precise, temos esse conteúdo com tudo que você precisa saber sobre as métricas e o YouTube Analytics.

6. Crie a sua segmentação

Existem algumas formas de criar as segmentações de um anúncio no YouTube, você pode escolher por tema (ex: culinária), por interesses de usuário – nesse caso deverá selecionar as pessoas que têm interesse em assuntos que estão relacionados com culinária -, ou ainda, por multi interesses, onde você define quais seriam eles, como por exemplo: comida doce, receitas salgadas etc.

Há também a possibilidade de segmentar sua campanha por outro vídeo. Para isso, você deve ter o link de algum vídeo que tem tudo a ver com a sua campanha e incluir a URL dele como sua segmentação.

E o método mais utilizado nas campanhas de AdWords: palavras-chave relevantes para o seu público. Nesse caso, é importante já ter feito um estudo de palavras-chave e definido quais são as melhores.

7. Finalizando a campanha

Depois de ter feito o upload do vídeo, definido a segmentação, lances, ofertas etc., confirme se está tudo certo com o seu conteúdo, se ele está dentro do limite de tempo exigido pelo YouTube.

Inclua um link de destino para direcionar o cliente que quiser interagir. Esse link vai depender da estratégia da sua marca, mas pode ser para a página de venda de um produto ou para o seu site.

Como otimizar minha campanha de vídeo?

Começando a otimização

Você pode otimizar a sua campanha de vídeo de diversas maneiras com base na análise e alterações na conta, atualização dos conteúdos, ou também com uma descrição mais atrativa, uma chamada diferente e assim por diante.

Porém, o recomendado é que as otimizações sejam feitas, no mínimo, duas semanas após a publicação das campanhas. Nesse período você já terá dados suficientes para guiar o que deve ser atualizado.

Durante o período de veiculação, o AdWords entregará muitas métricas sobre a sua campanha e você pode ficar em dúvida sobre em que se basear para fazer as otimizações, mas a recomendação do Google é considerar a taxa de visualização e o custo por visualização.

Essas métricas indicam o desempenho das campanhas de vídeo (falaremos especificamente sobre cada uma delas mais adiante).

Aproveitando ao máximo seu CPV

1. O que é CPV?

O custo por visualização (CPV) é o lance que define o valor que o produtor de conteúdo vai pagar pelo anúncio em campanhas de TrueView.

Isso quer dizer que, nesse formato de campanha, os anúncios são pagos pela quantidade de exibições que o vídeo teve ou pelas interações que recebeu (cliques em CTAs, cards, banners etc).

2. Como mensurar meu CPV?

A definição do CPV é feita pelo próprio anunciante. Ele deve definir o valor máximo que deseja pagar pela exibição do seu vídeo. O valor definido será aplicado a todos os vídeos que fizerem parte do mesmo grupo de anúncio.

Esse valor será cobrado de seu anúncio sempre que o usuário assistir 30 segundos do seu vídeo ou o vídeo completo (caso o tempo máximo seja de até 30 segundos).

Durante a criação do anúncio, o Google AdWords apresenta alguns dados de previsão de tráfego, mostrando qual a estimativa de vezes o vídeo será exibido, essa informação pode ser utilizada para definir o CPV de um vídeo.

3. Como melhorar meus lances de CPV?

É possível diminuir o valor total do que o Google AdWords cobrará de seus anúncios, pois a plataforma tem uma política de tentar cobrar do anunciante apenas o suficiente para que o anúncio seja exibido.

No final, o valor pago por visualização será chamado de CPV real, ele costuma ser mais baixo do que CPV, pois o leilão do Google AdWords é influenciado por dois elementos: o índice de qualidade e a classificação do anúncio.

O primeiro elemento vai avaliar a relevância do anúncio para o público. Depois de determinado, o índice de qualidade é multiplicado pelo lance que você escolheu como CPV. Essa conta vai classificar o anúncio diante de outros anunciantes.

No final, o leilão pega esses dados, os seus e os de outros anunciantes, classifica e verifica quem está com a melhor classificação. O melhor anúncio pagará o menor CPV real.

4. 5 dicas para atingir as metas de CPV

  • Expanda sua segmentação; quanto menor for a segmentação, mais limitada será a distribuição, gerando um custo maior para o anúncio.
  • Ajuste seus lances; os lances devem estar relacionados com as metas que o anúncio pretende atingir, depois de alguns dias no ar, você pode fazer ajustes para otimizá-lo. Caso não saiba muito bem como definir esse tipo de estratégia, os lances inteligentes podem te ajudar.
  • Alivie outras restrições no nível da campanha; é importante ficar atento para os fatores que possam interferir no desempenho da campanha para fazer otimizações sempre que necessário. No caso do idioma, por exemplo, o Google AdWords usa como base para entregar os anúncios, o idioma que o usuário está usando em sua ferramenta de pesquisa ou das páginas que ele acessa. Dessa forma, você também pode escolher o idioma dos sites que o seu vídeo aparecerá.
  • Aprimore seus anúncios; após duas semanas de atividade da campanha faça um aprimoramento para potencializar a entrega do seu anúncio. Você pode, por exemplo, definir o horário que quer que ele seja distribuído, assim ele não fica rodando o tempo inteiro e vai minimizar o valor que será investido para impressão do conteúdo.

Aproveitar ao máximo sua CTR

1. O que é CTR?

O CTR (Click-Through Rate) ou taxa de cliques é uma métrica utilizada para calcular o número de impressões de um anúncio dividido pelo número de vezes em que ele foi clicado.

É utilizada para entender o potencial de um anúncio ou de suas palavras-chave. Esse indicador é capaz de mostrar se um anúncio está sendo relevante para o público que pretendia atingir.

2. Como mensurar minha CTR?

Para entender a taxa de clique, você deverá pegar o número de impressões de um anúncio e dividi-lo pelo número de vezes que o anúncio foi clicado.

Por exemplo se o vídeo teve 5 cliques / 100 impressões = 5% é a CTR.

Quando a CTR do anúncio é muito baixa significa que ele está aparecendo muito, mas está recebendo poucos cliques. Isso fará com que o seu anúncio continue em uma baixa posição e não seja visto pelos usuários.

Porém, a CTR também pode ser baixa sem que isso signifique algo ruim. É o caso de campanhas de branding, onde o anúncio não costuma receber muitos cliques. Nesses casos, a CTR precisa ser avaliada de outra forma.

3. Dica para atingir a meta da CTR

  • Adicione informações interessantes para atrair o público; opções de teste gratuito, descrição sobre o produto, informações sobre pagamento etc.
  • Utilize apenas palavras-chave certas; elas devem descrever ou estarem relacionadas com o seu produto;
  • Cuide do índice de qualidade do seu anúncio; faça ajustes de palavras-chave e de conteúdo;
  • Adicione um CTA overlay ao vídeo; para isso, acesse sua conta no AdWords, vá em Campanhas, clique no menu ao lado do vídeo que você quer criar ou editar um Call To Action overlay, insira as informações e salve.

Aproveitar ao máximo sua taxa de visualização

1. O que é taxa de visualização?

A taxa de visualização contabiliza quantas pessoas assistiram a um anúncio até o final. É a métrica principal para medir o desempenho de um anúncio. O cálculo é feito da mesma forma que a taxa de cliques.

2. Como mensurar minha taxa de visualização?

Para isso, ela divide o número de visualizações pelo número de impressões do vídeo.

Ou seja, caso um anúncio tenha 10 visualizações e 1000 impressões, a taxa de visualização é 0,10%. Taxas de visualização altas costumam indicar que o anúncio está retendo a atenção do cliente.

Além disso, uma taxa de visualização alta fará com que o anúncio ganhe mais leilões com um CPV mais baixo, gerando cada vez mais visualizações, mas com um custo baixo.

3. 2 Dicas para atingir a meta da taxa de visualização

  • Aprimore sua segmentação; a segmentação deve garantir que apenas potenciais clientes vejam o vídeo. Por isso, o ideal é filtrar ao máximo, para que o público seja bem segmentado e você não pague por visualizações que não são interessantes para a marca. Os ajustes podem ser feitos e refeitos ao longo do tempo.
  • Aprimore seus anúncios; sempre que possível, tente usar vídeos de no máximo 30 segundos, pois vídeos mais curtos têm uma taxa de visualização maior. Mude também os títulos ou cards finais, adicione ou tire CTAs, tudo isso pode mudar o comportamento do público e favorecer sua taxa de visualização. Além disso, varie os vídeos nos anúncios para não cansar o público e perder a eficiência do conteúdo.

4. Restrinja sua segmentação

Quanto mais restrita for a sua segmentação, mais garantias de que está conversando com o público certo você terá.

Caso a sua empresa atue em regiões específicas, experimente criar um anúncio com uma segmentação por localidade e inclua apenas as cidades de sua atuação.

Os interesses dos clientes também podem ajudar na sua segmentação. Você pode incluir os interesses em comum que os clientes têm com a sua marca. Por exemplo: sua empresa vende queijos e seus clientes costumam comprar vinhos de uma marca específica, adicione as informações sobre esse outro produto. Dessa forma, seu vídeo também poderá aparecer quando o cliente estiver navegando na página da marca de vinhos.

5. Exclusão de segmentação

O YouTube pode veicular os seus anúncios em diversas páginas, categorias e sites, e você não será previamente avisado sobre isso.

Por outro lado, o Google AdWords permite um bloqueio da veiculação de seus anúncios. Por exemplo, se você não quer que os clientes associem sua marca com uma outra, é possível desativar a exibição dos seus anúncios em conteúdos específicos.

Antes de desativar a exibição dos seus vídeos em algumas páginas, leia sobre exclusões de conteúdo e opções de categoria de site e se informe sobre as possibilidades.

Quer saber mais sobre Google AdWords? Clique aqui e descubra quais são as métricas de anúncio e vídeo na ferramenta que você deve mensurar.

Redação VidMonsters

Loucos por marketing e vídeos!