VidMonsters
Por VidMonsters

Aprenda a simular duas câmeras no vídeo sem gastar muito

VidMonsters
Por VidMonsters

Quer trazer um ar mais profissional para o seus vídeos? Então precisa aprender a como simular duas câmeras.

Aposto que você já viu essa técnica em vários vídeos e imaginou como seria fazer aquele efeito. Achou até que precisaria ter duas câmeras gravando ao mesmo tempo para conseguir.

Mas não é nada disso. Hoje a dica é essencial para conseguir simular duas câmeras no vídeo. Esse efeito pode trazer o profissionalismo que deseja para suas produções.

Como seria ter duas câmeras durante a gravação?

Não consegue imaginar o que seria essa mudança de câmera na hora da gravação? Vou refrescar a sua memória com um vídeo da blogueira e youtuber Lu Ferreira, do Chata de Galocha.

Ela utiliza muito essa técnica de gravação nos vídeos dela. E se engana quem pensa que essa transição é um bicho de sete cabeças.

Se você faz um roteiro bem detalhado, a hora da gravação e da edição ficam muito mais tranquilas. Veja no vídeo abaixo como a blogueira utiliza essa técnica nos vídeos dela.

Simular duas câmeras na gravação em 4 passos simples

Descobrimos o passo-a-passo ideal para conseguir simular duas câmeras na gravação. Siga atentamente cada um deles no início. Depois, esse ritmo ficará bem mais simples do que imagina. Os quatro passos são:

  1. Escreva um roteiro
  2. Encontre o melhor local
  3. Gravação em duas partes
  4. Edição do vídeo

1. Escreva um roteiro pensando em transições de câmera

Aposto que você já assistiu a um programa ao vivo em que o apresentador mudava de câmera enquanto falava. Isso é muito comum, principalmente para mudanças de assunto e até para deixar o espectador mais atento ao programa.

Os editores decidem essas mudanças na hora de escrever o texto e todas elas já vão direto para o teleprompter (TP) da sala de gravação do programa.

A mudança de direção acontece quando o apresentador tem alguma abertura de programa já programada ou quando chama os comerciais.

Ao longo do programa, as mudanças de câmera tanto para o apresentador quanto para os convidados são decididas ao vivo enquanto os cinegrafistas gravam todos os ângulos necessários. Isso, se pensarmos em um programa de entrevistas, por exemplo.

Logo, além dos cinegrafistas, existe um diretor em uma sala, com várias televisões e que decide qual daquelas imagens deve ser exibida naquele instante. (Você pode entender como funciona essa troca durante o filme A vida de Chico Xavier, por exemplo, no trecho em que está ao vivo em um programa).

Organizando o roteiro

Se pensarmos em um roteiro voltado para televisão e que é muito simples de utilizar no dia-a-dia de uma gravação, por exemplo, faremos duas colunas em uma tabela. Em um lado seriam as imagens que faremos.

As imagens, quando se trata de vídeo, não são consideradas fotografias, mas sim vídeos.Então, sempre que falarmos em “imagens” ao longo do texto, pense em vídeos.

Na outra coluna da tabela colocaremos o texto falado para o vídeo. Quando digo texto falado, me refiro até ao modo como ele deve ser pensado ao ser produzido.

Isso porque um texto para vídeo não precisa de firulas, mas sim de ser compreendido facilmente e de uma única vez.

Repetições, mesmo que sejam usuais com os controles atuais da internet – de voltar e prosseguir – devem ser deixados de lado.

Já que o espectador deve entender o vídeo sem precisar voltar ao início. Para isso, é preciso pensar em escrever um texto que seja falado.

Uma técnica utilizada pelos repórteres e apresentadores é ler em voz alta.

Assim, você consegue encontrar mais facilmente as palavras que rimam ou que juntas possuem uma sonorização estranha.

Abaixo está um exemplo de como você pode se orientar através do roteiro para criar as viradas. Como será preciso fazer duas gravações (como veremos nos tópicos a seguir) você precisará direcionar parte da fala anterior na segunda gravação. Como indicamos abaixo.

como simular duas câmeras no roteiro

Sempre utilizamos o Google Docs para fazer os roteiros da VidMonsters Assim, conseguimos compartilhar o documento com toda a equipe. Além de podermos acompanhar pelo celular sem precisar imprimir o roteiro.

2. Encontre o melhor local

Sempre que estamos criando um roteiro, precisamos pensar no melhor local para fazer aquela gravação. A de hoje, por exemplo, sobre como simular duas câmeras, eu queria que fosse ao ar livre. Dessa forma eu conseguiria mostrar todo o processo de construção das mudanças de ângulo. Mas, claro, dá para você pensar nessa mudança até com enquadramentos diferentes.

No vídeo da blogueira Lu Ferreira, por exemplo, é possível observar que a mudança de câmera é bem delicada, sem mostrar ela fazendo todo o processo de virada da câmera. E, além disso, possui um enquadramento mais fechado na câmera dois.

Isso é importante para que o espectador não fique sempre “estagnado” olhando para o mesmo local. É preciso que tenha essas trocas para manter a atenção dele ao vídeo. Observe na montagem abaixo:

simular duas câmeras no vídeo

Antes de escolher o melhor local, será preciso pensar no enquadramento que usará neste vídeo. Por isso, observe atentamente qual deles seria o ideal e faria mais sentido.

Encontrar o melhor local depende, principalmente, do que você aborda em seu texto. Se fala sobre algo relacionado ao ambiente de trabalho, esteja nele. Sobre uma viagem, esteja em uma estrada ou simule uma.

Imagine que essa mudança de ângulo é importante porque deseja mostrar algo interessante na paisagem. Ou, quem sabe, mostrar o movimento atrás de você.

Por isso, antes de começar a gravação, pense atentamente nos dois ângulos, para que consiga encontrar os que possuem uma iluminação melhor. E até algo interessante para se mostrar atrás!

Ou, como a blogueira do Chata de Galocha, tenha um cenário perfeito que combine com cada tema dos seus vídeos.

3. Gravação em duas partes

Na hora de gravar, você precisa pensar sempre em três momentos, sendo eles:

  • O momento em que você olhará para uma direção apenas,
  • No que você estará em uma direção e terminará em outra e
  • No que você inicia brevemente em uma direção e segue para a outra.

Esses são os momentos que devem estar alinhados no roteiro. Dessa forma, você consegue observar de forma clara também como será o processo de gravação.

como simular duas câmeras na gravação

Então, vamos entender cada uma das gravações.

Na primeira delas você começa o texto e fala até terminar uma frase. Depois se vira e continua uma pequena parte da fala ainda na primeira gravação.

Na segunda, você começará no primeiro ângulo da primeira gravação, apenas um curto pedaço até terminar a frase que você falou e em seguida se virar para continuar a frase no ângulo da segunda gravação.

Portanto, você faz os dois ângulos nas duas gravações. Observe o esquema abaixo para entender. O quadrado com o número 1 no verde claro é o primeiro ângulo e o no verde escuro é o segundo ângulo. Como você pode notar, ambos os ângulos aparecem nas duas gravações.

como simular duas cameras no video

Observe agora como aquele roteiro do segundo ponto não ficou ainda mais claro, certo?

4. Edição do vídeo

Agora você deve estar com uma dúvida na cabeça: mas como farei isso se transformar em um movimento sem cortes? O mais certo a fazer é capturar o movimento de virada no mesmo instante, fazer com que ele se complemente.

Portanto, basta você colocar as duas gravações, lado a lado no editor. Depois disso, basta cortar poucos segundos após a virada (mudança de ângulo). Para então, encontrar um ângulo de virada parecido e os encaixar. Simples, certo? E o resultado é mais legal ainda.

Essencial:

Essa simulação de duas câmeras precisa ser muito bem trabalhada. Portanto você precisa ficar de olho em vários pontos importantíssimos para que essa transição realmente faça sentido:

  • Lembre-se de usar a mesma roupa nas duas gravações. Parece bobo, mas é muito sério. Se não, a noção de “mudando naquele instante” se perde.
  • Lembre-se de marcar o local com um X onde você estará parado. Tanto para que consiga ajustar o foco perfeitamente, quanto para não perder a posição certa em que você estava na hora de fazer a segunda posição.
  • Lembre-se de observar bem as luzes para que elas não se alterem tanto na mudança de ângulo.
  • Pense no enquadramento dos dois ângulos e, de preferência, faça um diferente do outro. (Vá do mais fechado ao mais aberto e vise-versa).
  • Como é para ser uma continuação, lembre-se que os mesmos movimentos de mãos devem permanecer na próxima gravação. Erros de continuidade podem ser imperceptíveis para alguns, mas para quem curte vídeo, são quase um pisca alerta! Fique de olho nisso!
  • Lembre-se de fazer um ângulo que se complemente. Nada de virar para um lado e no vídeo seguinte estar em outro ângulo totalmente diferente. O movimento em si precisa fazer sentido.

 Gostou de saber como simular duas câmeras? Lembre-se que é importante ter uma câmera de qualidade para gravar, por isso, clique aqui para saber mais!