VidMonsters
Por VidMonsters

NÃO cometa esses erros em sua estratégia de Conteúdo em Vídeo

VidMonsters
Por VidMonsters

O uso de vídeos como estratégia de Marketing ganha cada vez mais espaço como forma de alcançar o público com mais eficiência. O vídeo ajuda as empresas a gerarem mais engajamento e, consequentemente, reconhecimento de marca. Entretanto, muitas marcas ainda cometem erros na hora de produzir e divulgar conteúdo em vídeo.

Com o avanço da tecnologia a todo vapor, o uso desse formato de mídia vem dando bons resultados para a  divulgação de serviços e marcas. De acordo com a Adobe52% dos profissionais de marketing do mundo afirmam que vídeo é o tipo de conteúdo com melhor retorno sobre investimento. Esse é um dado que não pode ser deixado de lado, certo? Então, se você já está produzindo vídeos na sua estratégia, está no caminho certo.

Os resultados dos seus vídeos não estão bons? Provavelmente você está cometendo alguns erros de conteúdo em vídeo. Mas calma, estamos aqui pra ajudar você!

Por que meus vídeos não estão dando resultados?

Sem dúvida, os vídeos são um verdadeiro fenômeno na internet. E não apenas para os usuários comuns. Empresas estão enxergando nessa mídia um excelente canal de marketing.

Além da facilidade de consumo, os vídeos estão presentes nas maiorias das redes sociais. Essas informações não podem ser ignoradas se você quer construir uma marca sustentável e de sucesso.

Afinal, os conteúdos em vídeo são a cara da sua marca. Se você criar vídeos sem planejamento de conteúdo, sem ter um objetivo e até mesmo sem conhecimento do seu público-alvo, logo, seus consumidores julgarão mal sua marca.

Ou seja, um erro no início do processo da produção do conteúdo, pode impedir você de alcançar bons resultados.

5 erros de conteúdo em vídeo que você está cometendo

Alguns erros, simples, mas bastante graves, podem atrapalhar sua estratégia e levar todo seu trabalho por água abaixo. Portanto, criamos uma lista de erros de conteúdo em vídeo para ajudar você a encontrar o caminho certo novamente.

Dê uma olhada e veja se está cometendo algum deles:

1. Não traçar um objetivo claro e mensurável

Todos nós temos desejos e sonhos na vida, certo? E isso vale tanto para o âmbito pessoal, quanto para o profissional. Ser capaz de planejar seus objetivos com clareza é fundamental para qualquer ser humano. Mas, infelizmente, muitas pessoas se perdem ao longo do caminho e acabam não conseguindo chegar ao destino que tanto desejam.

Existem pessoas que acreditam que dependem da sorte. Logo, elas se colocam em lugares vulneráveis à espera de um milagre para que seus sonhos se realizem. Mas a realidade é que nós criamos a nossa sorte. Para isso, precisamos traçar nossos objetivos, metas de vida e na carreira profissional não é diferente.

O primeiro passo para traçar um objetivo de trabalho é visualizar sua estratégia. Defina como quer ser conhecido pelo seu público. Estabeleça metas, pense na imagem que sua marca quer passar, e principalmente, onde quer chegar com o seu trabalho.

Todo conteúdo produzido deve ser pensado estrategicamente para andar lado a lado com o que quer alcançar. Lembre-se: sucesso não é chegar no topo, mas sim chegar onde planejou!

2. Não fazer um mapeamento claro da persona

Não saber com quem você pretende se comunicar é um dos erros mais graves em conteúdo de vídeo. A persona é a representação mais próxima possível do seu cliente ideal. Por isso, definir sua persona é essencial para saber a melhor maneira de produzir seus conteúdos.

O primeiro passo para mapeá-la é conhecer seus possíveis clientes. Saber o que eles pensam, o que gostam, quais horários eles estão disponíveis para ver seus vídeos. Além disso, você também precisa entender se sua audiência quer assistir vídeos tutoriais ou transmissões ao vivo, por exemplo. Perguntas como essas ajudam a traçar o perfil exato do seu cliente ideal.

3. Não levar em conta o funil de vendas na hora de produzir

Se conhecer a persona já é um ponto bastante importante, lembrar da jornada de compra é mais ainda. Produzir, por exemplo, um vídeo “ao vivo” quando ninguém conhece a sua marca pode não ser o ideal. Esse é, sem dúvidas, um dos erros de conteúdo em vídeo mais cometidos.

Imagem relacionada

Tudo se encaixa. Seu conteúdo atrai visitantes, que torna sua marca referência no mercado, que alimenta a geração de leads e, finalmente, os preparam para a venda. Certo? Mas para que esse processo aconteça é necessário que você conheça mais sobre o funil de vendas e entenda todas suas etapas:

  • Descoberta: Essa é a etapa em se chama a atenção do possível comprador sobre algum assunto, o fazendo descobrir um problema ou chance de gerar mais negócio.
  • Reconhecimento do problema: Etapa em que se gera interesse no possível comprador para identificar seu problema. O que faz com que ele pesquise mais em busca de soluções.
  • Consideração: Nesta etapa, o possível comprador cria um desejo para avaliar as possíveis soluções para seu problema.
  • Decisão: A última etapa, é a ação de comparação das opções de soluções encontradas, escolhendo entre elas, a melhor para si.

A partir do momento em que essas etapas estão bem definidas, você deve levar em consideração cada uma delas, para produzir conteúdo em vídeo.

Vejamos um bom exemplo: João (que não leva uma vida saudável) está em em casa, de bem com a vida, e de repente recebe um vídeo sobre “receitas de sucos detox”. Mas João não está interessado em sucos detox.

Então, veja bem, e se ele recebesse um vídeo falando dos benefícios das frutas e legumes e da importância dos sucos detox para sua saúde? Talvez ele se interesse e aí sim, queira saber mais sobre o assunto.

4. Não analisar sua estratégia de forma cíclica

Quando trabalhamos com Marketing Digital, acompanhar nossas referências é de total importância. Para isso, usamos as métricas para não cometermos mais um dos erros de conteúdo em vídeo.

Tenha em mente que métricas são um conjunto de parâmetros que definem a performance de um site. É específico apenas para mostrar o desempenho do mesmo, e não do produto.

É importante lembrar que métricas são bem diferentes de KPI’s. O KPI é o indicador-chave de performance, criado a partir das métricas. Ele se caracteriza por medir os resultados, avaliar o desempenho organizacional e pela utilidade de analisar tendências dos consumidores.

Entendendo a diferença entre métricas e KPI’s, é necessário analisar a estratégia constantemente. Assim, você reflete acerca do que ainda pode melhorar e seus vídeos só tendem a crescer!

5. Falta de qualidade nos vídeos

Todas as dicas anteriores sobre erros de conteúdo em vídeo, de nada adiantam se a qualidade do conteúdo não for boa. Oferecer uma boa experiência para o público, com imagens limpas e bem captadas é de grande importância para obter resultados satisfatórios para seus vídeos.

Por exemplo, um erro comum na hora de gravar vídeo com o celular é a posição. Geralmente, os vídeos têm o formato horizontal. Se gravá-lo na vertical e subir para o Facebook ou YouTube, o vídeo ganhará aquelas tarjas pretas na lateral. E isso passa a impressão de produção amadora, não agregando um bom visual para seu vídeo.

Agora, se você estiver usando o Instagram Stories, que é uma rede social que te disponibiliza vídeos na vertical, aí sim, tudo bem. Por isso a importância de escolher a sua plataforma de vídeo antes de gravá-los!

Outra dica legal, é sobre a trilha sonora que você escolhe para seu vídeo. Pense se você está gravando um vídeo tutorial e adiciona uma música eletrônica ao fundo, por exemplo. Certamente, seu consumidor não entenderia sua explicação, sentiria incômodo durante o vídeo e também atrapalharia a mensagem que você quer passar.

Com certeza, com uma boa revisão de todos os itens que citamos, suas produções em vídeo melhorarão e mostrarão resultados reais.

vídeo marketing

O conteúdo em vídeo vai dominar a internet?

De acordo com o relatório da Cisco, o conteúdo em vídeo é a tendência do momento e para os próximo anos. Acredita-se que em 2019, o conteúdo em vídeo online será responsável por 80% de todo o tráfego de dados da internet.

Além disso, segundo Alvaro Barros, diretor do YouTube no Brasil, em 2020, o consumo de vídeos ultrapassá o consumo de TV em todo o mundo. Já consegue imaginar o que isso significa?

O surgimento de plataformas digitais – tais como YouTube, seguido das redes sociais SnapChat, Periscope, Facebook Live e atualmente o Instagram – possibilitaram a popularização de conteúdos audiovisuais. Com isso, mais pessoas passaram a consumir vídeos por dia, deixando o formato ainda mais popular.

Conteúdo em vídeo dá voz à comunidade, empresas e pessoas públicas que querem compartilhar informações aos usuários dessas redes sociais. Através deles, empresas e faculdades passaram a explorar essas plataformas como meio de distribuição de conteúdos informativos.

E, claro, a procurar outros meios, que não sejam as redes sociais, para distribuir e fazer a gestão do conteúdo realizado.

Conteúdo em vídeo usado na Educação a Distância

Empresas e faculdades, viram que, com diversas plataformas disponíveis, seria mais fácil investir na Educação à distância.

Incluir conteúdo em vídeo nos cursos EAD tem um enorme ganho para empresas e universidades. Além disso, é uma alternativa para manter colaboradores atualizados e alunos informados. Isso tudo sem que um funcionário da empresa precise se deslocar para fazer treinamentos corporativos.

E, em caso de faculdades, os alunos conseguem otimizar o tempo sem que ocorram perdas excessivas durante o trânsito, a caminho da universidade.

A questão primordial aqui é o ganho de tempo com a diminuição de gastos com treinamentos e Onboarding de novos funcionários. Gerir melhor o tempo no trabalho garante aumento de produtividade a fim de que seus colaboradores alcancem as suas metas com mais facilidade. Imagine dentro de uma empresa, o quanto o treinamento pode ser intensificado se forem repassados em vídeos aos colaboradores?

A maioria das pessoas conectadas preferem conteúdos visuais, pois exigem menos esforço do espectador do que ouvir ou ler. Os conteúdos em vídeo são mais leves, dinâmicos e informativos, porque incluem exemplos que facilitam o entendimento de quem o está assistindo. Eles contribuem para o aumento da produtividade dos alunos e dos colaboradores, deixando o aprendizado mais intuitivo e vitalício.

Por isso, as empresas estão investindo em videoaulas a fim de treinar os seus colaboradores e proporcionar um crescimento contínuo. Baseado, principalmente, na construção de uma cultura sólida.

Descubra como é utilizado conteúdos em vídeo em cada rede social

Em cada rede social o conteúdo em vídeo é consumido de forma diferente. Isso varia até de acordo com o públicos, já que cada um consome conteúdo de forma distinta.

Além da procura variar entre entretenimento e a informação. É essencial que você pense no formato e no funcionamento deles antes de investir na produção do conteúdo. Entenda cada plataforma e, só assim, produza um conteúdo que se adeque a cada uma delas.

a) Facebook

No Facebook as pessoas buscam vídeos mais rápidos e mais dinâmicos. Elas não querem algo maçante e que prenda a atenção por muito tempo.

Por ser uma rede social, o internauta procura entretenimento e, por isso, os vídeos mais famosos nas redes sociais são de receitas e animais fofinhos. Mas isso não significa que a sua loja de roupas ou de eletrônicos não fará sucesso na rede. É tudo uma questão de segmentação de público.

Um exemplo de sucesso no Facebook, é a página Tastemade, que apresenta diversas receitas em vídeo curtos e explicativos:

b) Facebook Live

O Facebook Live é utilizado por grandes jornais e veículos de comunicação para promover um debate na rede com os usuários. É bastante utilizado para levar uma notícia de uma forma mais instantânea.

As transmissões ao vivo também são capazes de deixar a relação com o usuário ainda mais intensa e verdadeira. Isso porque os conteúdos em vídeo podem até não converter mais que eBooks, mas geram algo ainda mais intenso. Os vídeos criam uma conexão e o impacto emocional com o espectador, essencial para o processo de fidelização com a marca.

c) YouTube

Os conteúdos no YouTube são mais completos e demandam mais atenção. Geralmente, costumam ser mais longos.

É um meio de comunicação onde a empresa educa seu cliente, desde a necessidade da compra até o pós-vendas. É um canal mais exclusivo para fazer propaganda, por se tratar de uma mídia exclusiva para vídeos. Então é a que mais se aproxima do usuário que está interessado em consumir esse tipo de conteúdo.

A Avon cria diversos vídeos tutoriais de maquiagem para divulgar seus produtor, veja abaixo:

d) SnapChat

Criado em 2011, o SnapChat começou a ficar conhecido em meados de 2012/2013 quando diversos digitais Influencers começaram a migrar para a plataforma de vídeos instantâneos e que se autodestroem em 24 horas.

Esses conteúdos têm por intuito aproximar os consumidores dos clientes e mostrar a realidade do dia a dia de uma loja, empresa ou como é a rotina da sua artista ou blogueiro preferido.

Ultimamente o SnapChat tem perdido espaço para o Stories do Instagram, que funciona, basicamente, da mesma forma.

e) Instagram

Até pouco tempo atrás, o Instagram era uma rede social dedicada ao compartilhamento de fotos. Mas, em agosto de 2016, foi lançado o Stories e, com isso, passou a dar mais visibilidade aos conteúdos em vídeo, que  geram mais engajamento do que apenas fotos.

Por isso, estão sendo usados por marcas para ficarem mais próximas do público e aumentar a interação com os clientes.

O que mudou depois dos Stories?

Com a febre do Stories as empresas buscam ser mais próximas dos clientes. Por isso é de extrema importância saber usar as hashtags de forma inteligente e planejada. Capriche nos vídeos, seja criativo, use Boomerangs e os filtros disponíveis na plataforma.

Aproveite a nova atualização do Instagram Stories para fazer enquetes com o seu público e descobrir o que eles mais curtem ver. Por exemplo: se você tiver uma loja de roupas, faça Stories com as novidades que chegaram recentemente à loja e inclua os preços no vídeo. Isso é uma excelente maneira de despertar no público o interesse em conhecer a nova coleção.

Faça bate-papo ao vivo, pelo menos, uma vez na semana, para melhorar a relação empresa/colaborador/consumidor. Os conteúdos em vídeo passam mais credibilidade e têm muito mais informações do que textos ou somente fotos.

É um jeito dinâmico e fácil de compartilhar informações com clientes e seguidores. Com os vídeos é possível criar um conteúdo fácil de ser compartilhado, que promoverá um bom engajamento e, quem sabe, poderá se tornar um viral na internet?

Viram como o vídeo possui essa versatilidade? Ele tanto pode ser utilizado no dia a dia de uma empresa internamente quanto como ação de marketing externamente.

Agora que você já sabe todos os pontos necessários para continuar evoluindo sua estratégia, que tal conhecer as 5 tendências de conteúdo em vídeos para a sua empresa investir?