VidMonsters
Por VidMonsters

Tipos de transições e cortes de vídeo que você deve usar em suas produções

VidMonsters
Por VidMonsters

Um vídeo bem acabado é muito mais atrativo de se assistir. Por este motivo a grande preocupação com a pós-produção. E nesse processo, temos a parte do corte de vídeo, uma das etapas mais importantes ao produzir um conteúdo. Seja ele feito de forma profissional ou amadora.

Já imaginou vídeos 100% corridos? Os conteúdos não seriam apenas cansativos, mas evidenciaram erros que talvez você não queira mostrar.

As transições com os cortes de vídeo também ajudam a trazer personalidade ao seu conteúdo. Ser adepto de determinado estilo pode criar personalidade e deixar seus vídeos com sua identidade. Por isso, seja ela simples ou com um pouco mais de detalhes, as transições são importantes para quem busca um conteúdo de qualidade.

Sendo assim, neste artigo iremos mostrar a você um pouco mais sobre as opções de transição e corte de vídeo. Além de ajudar você a escolher qual utilizar no seu conteúdo. Confira!

Tipos de corte de vídeo

Há uma variedade imensa de corte de vídeo disponíveis. Desde opções mais discretas, para vídeos mais sérios, até aquelas com mais detalhes, para uma proposta mais divertida.

Conheça agora um pouco mais sobre cada um dos tipos de corte de vídeo:

1. Jump cut

O nome Jump cut quer dizer ”um salto”. Ou seja, ele é utilizado como uma ferramenta de corte brusco, quando, por exemplo, você está em um assunto e passa para outro.

O seu uso é indicado quando se há uma necessidade de mexer com a percepção temporal do vídeo e no assunto que está sendo abordado. Ele atua como um corte brusco e repentino no assunto.

Portanto, deve ser feito de forma rápida para não ficar desconfortável para quem assiste. O recomendado é que o corte tenha a duração de um abrir e fechar de olhos. Uma vantagem dessa técnica é que ela é uma das mais fáceis de serem reproduzida em um vídeo, dada a simplicidade de aplicação.

Confira um exemplo desse tipo de corte abaixo, retirado do filme “Pequena Loja dos Horrores”, do diretor Frank Oz:

2. J cut e L cut

Estas são duas técnicas de corte de vídeo muito utilizadas no meio cinematográfico. Especialmente para contextualizar os diálogos dos personagens. Entretanto, se você trabalha com produção de vídeos para a internet, nada te impede de utilizá-la.

No L cut, o corte é feito apenas na imagem, não mexendo no som até o corte da próxima cena. Esta técnica é ótima para trazer harmonia à cena e mostrar o que está se passando no vídeo de forma mais didática.

Já o J cut é quando já houve um corte na cena, mas você continua ouvindo o áudio da cena anterior. Uma técnica estética que serve para dar mais personalidade ao vídeo.

Estas são duas técnicas de transição mais antigas que existem, com filmes datados de 1927 que já apresentavam essas transições.

3. Standart cut

O standart cut ou corte direto, é quando a passagem de uma cena para a outra acontece de forma simples e sem acabamento. Esta técnica, apesar de simples, não é muito agradável esteticamente. O que pode desagradar a alguns espectadores mais críticos.

4. Cutaway

Este método de transição caracteriza-se pela utilização de pequenos detalhes, para usar no momento do corte.

Esta técnica é ótima também para sobrepor partes que foram gravadas erradas, ou que apenas não agradam. Então, sempre que for gravar um vídeo, produza alguns cutaways para dar mais detalhes ao seu conteúdo.

Confira um exemplo de cutaway na cena abaixo, do filme “Curtindo a Vida Adoidado”, de John Hughes:

5. Cutting on Action

O Cutting on Action ou um corte em ação, traduzindo de forma direta, é um método de transição que serve para dar um corte de uma cena para outra, em um momento de ação. Ou seja, é uma sequência de ações. O primeiro e segundo frame se completam entre si.

Ele pode se iniciar em uma ação quando, cortando, você passa para a conclusão daquela ação. Este é um método muito didático e explicativo, que pode ser usado tanto em filmes, quanto em vídeos.

Abaixo, você confere uma cena do filme “Kill Bill”, de Quentin Tarantino, que faz uso desse tipo de corte:

6. Match cut

O match cut, ou corte de comparação, é quando ocorre a transição entre dois frames que se correspondem de alguma forma. Esta é uma técnica muito utilizada em filmes. Aonde quem assiste consegue fazer uma relação entre os dois planos que foram mostrados.

Como no filme “2001 Uma Odisseia no Espaço”, de Stanley Kubrick, quando o primata joga o osso para cima e, ao cair, há um corte para uma nave com um formato parecido ao do osso. Mesmo os dois itens sendo diferentes, quem assiste não estranha esse corte.

7. Cross cut

Esta é uma técnica de corte utilizada para não perder o dinamismo entre duas cenas.  É muito utilizada em filmes para mostrar duas coisas que estão acontecendo ao mesmo tempo, porém em locais diferentes.

A trilha sonora pode favorecer muito a este efeito, utilizando a mesma trilha nos dois locais para estabelecer a ligação.

Confira dois exemplos retirados do clássico “O Poderoso Chefão”, de Ford Copola, e de “Inception”, de Christopher Nolan:

8. Invisible cut

O invisible cut ou cortes invisíveis, tem se tornado uma tendência cada vez mais aplicada em corte de vídeo ou filme. Esta técnica consiste em trazer continuidade, de modo que quem assiste nem percebe o corte, parecendo um plano sequência.

Além de possuir um aspecto de plano sequência, este tipo de corte de vídeo traz uma maior valorização ao conteúdo produzido.

Na cena abaixo, do filme “Vingadores: Guerra Infinita”, você confere um exemplo de corte invisível:

9. Smash cut

Esta técnica também se constitui em um corte bruto. Entretanto, ela é utilizada para mostrar momentos emocionais marcantes, para valorizar o cenário ou a narrativa.

Este corte de vídeo acontece quando o mesmo não é esperado, seja em um diálogo importante ou em uma cena de clímax.

Confira um exemplo de smash cut retirado do filme “Vanilla Sky”, de Cameron Crowe:

Tipos de transições de vídeo

Agora que você já conhece as técnicas de corte de vídeo, vamos conhecer os tipos de transição, para saber compor com o corte.

1. Iris

Neste tipo de transição de vídeo, você escolhe uma forma encolhendo ou crescendo em cima da sua imagem para fazer o corte. Você pode selecionar qualquer forma, como um diamante, um círculo, uma cruz, um quadrado ou qualquer outra forma que desejar.

2. Fade in e fade out

O fade in e fade out são transições lentas, que você pode criar nos seus cortes de vídeo. Nele, há uma passagem de cor, seja do branco para o preto, ou do preto para o branco.

3. Wipe

A transição wipe é para quem tem mais criatividade, pois ela se constitui em uma montagem de cenas, onde uma cena se transforma na seguinte. Como por exemplo, uma virada de página que muda a cena.

4. Cross dissolve

Como o próprio nome já diz, na técnica de transição cross dissolve, temos um efeito no qual a cena passada se dissolve e corta para a seguinte. Este efeito é muito utilizado em produções com aspecto mais amador.

Agora que você já conhece os tipos de corte de vídeo e de transição, não há desculpa para não deixar o seu conteúdo produzido mais personalizado e com aspecto ainda mais profissional.

São pequenas técnicas, como o corte de vídeo, que demandam pouco investimento e podem ser feitas até mesmo por profissionais com pouco conhecimento em edição. E que possuem efeitos muito positivos, na percepção de qualidade do público.

Outro recurso que pode ser excelente na pós produção são os templates de vídeo. Clique aqui e aprenda a utilizar.