Marcos Pereira
Por Marcos Vinicius

Tudo o que você precisa saber sobre Marketing de Conteúdo

Marcos Pereira
Por Marcos Vinicius

O Marketing de Conteúdo é a criação e distribuição de conteúdos relevantes, sem necessariamente divulgar a marca de maneira explícita. Com isso, a empresa consegue atrair, educar, encantar e converter clientes.

Hoje em dia, é fundamental que uma empresa esteja presente na internet para ser relevante para o público. Nesse sentido, o Marketing Digital deixou de ser apenas uma novidade para se tornar um quesito obrigatório.

Mas não basta apenas ter perfis em redes sociais e esperar resultados milagrosos caindo do céu. É preciso ganhar a atenção do público e se destacar dos concorrentes.

Para isso, algumas estratégias são muito eficientes. E entre elas está o Marketing de Conteúdo. Através dele, você consegue estreitar a relação com a audiência e transformar o seu negócio em referência de mercado.

Ainda não conhece o Marketing de Conteúdo ou quer aprender mais sobre essa estratégia? Então continue lendo este guia completo que preparamos para você. Boa leitura.

Confira o que você aprenderá neste conteúdo:

O que é Marketing de Conteúdo

De maneira bem direta, o Marketing de Conteúdo consiste em produzir conteúdos relevantes para o seu público-alvo. O objetivo desses conteúdos é ajudar potenciais clientes em todo o processo de compra, atraindo-os para a marca de maneira natural

Esses conteúdos servem para informar as pessoas, ajudando-as a identificar um problema ou necessidade e a encontrar soluções para elas.

Ao mesmo tempo em que informam, esses conteúdos ajudam a fortalecer a marca da empresa, transformando-a em autoridade. Assim, fica mais fácil despertar a atenção e a empatia das pessoas, que terão mais disposição em fechar negócio com você.

O Marketing de Conteúdo é um dos pilares da estratégia de Inbound Marketing e parte de um princípio simples. O consumidor atual busca espontaneamente informações sobre assuntos de seu interesse. E essa busca pode terminar em uma venda.

Nesse contexto, o papel da empresa é oferecer conteúdos que ajudem a informar os usuários sobre esses assuntos e guiá-los pela jornada de compra.

A produção de conteúdo, portanto, é o coração dessa técnica. Ela atrai, informa, nutre, vende e encanta o consumidor. Como? É o que veremos abaixo:

Relação entre o Marketing de Conteúdo e o Inbound Marketing

Antes de conhecer todos os benefícios que o Marketing de Conteúdo oferece, é necessário entender um pouco sobre o conceito e funcionamento do Inbound Marketing.

De maneira geral, o Inbound Marketing é uma estratégia que busca atrair o interesse dos consumidores de maneira não invasiva.

Ou seja, essa metodologia é o oposto das propagandas e comerciais, que jogam anúncios agressivos no público. O Inbound pretende atrair o público sutilmente.

Assim, o consumidor vai até a empresa, em seu próprio ritmo, dando a permissão para que a marca transmita suas mensagens.

Para isso, toda estratégia de Inbound se estrutura a partir de quatro pilares:

  • Atrair. O primeiro passo é gerar tráfego qualificado para os canais da empresa e fazer com que estranhos se tornem visitantes regulares através da publicação de conteúdos relevantes.
  • Converter. Depois de atrair um número razoável visitantes, o passo seguinte é convertê-los em leads. Para isso, é necessário oferecer conteúdos exclusivos em troca de informações como nome, e-mail e telefone.
  • Fechar. Após atrair usuários e convertê-los em leads, é hora de vender. Nessa fase, é essencial nutrir um relacionamento de qualidade com o público para, em seguida, fechar a venda.
  • Encantar. Estratégias de pós-venda e suporte são muito importantes para que os clientes atuais se transformem em divulgadores da marca.

Como deu para perceber, aplicar a estratégia de Marketing de Conteúdo é uma maneira de fazer Inbound Marketing.

Benefícios do Marketing de Conteúdo

Agora que você já conhece o conceito de Marketing de Conteúdo, deve estar se preguntando por que deve produzir conteúdos em vez de anúncios, certo?

Não é à toa que, de acordo com o PointVisible, 60% dos profissionais de marketing B2C apostam no Marketing de Conteúdo. Existem muitas vantagens em apostar nessa estratégia.

Veja só:

1. Atrai tráfego orgânico para o seu site

Você sabia que, segundo o Internet Live Statsos internautas realizam mais de 4,5 bilhões de pesquisas no Google todos os dias? É muita coisa! E se a sua empresa aparecer entre os resultados de busca, a chance de esses internautas acessarem o seu site é muito grande!

Ou seja, o site da sua empresa é como uma vitrine para novos clientes e o Google é o caminho mais rápido até ele.

E produzir conteúdos relevantes ajuda a colocar a sua marca na primeira página dos resultados de busca. Assim, o seu site será encontrado com mais facilidade pelo público, atraindo tráfego orgânico (e gratuito) para a marca.

2. Gera brand awareness 

Se o Marketing de Conteúdo ajuda o site da sua empresa a ter mais acessos, consequentemente, também aumenta o reconhecimento da marca e seus produtos/serviços entre o público.

Ou seja, a produção de conteúdo é uma estratégia que também gera mais Brand Awareness para o seu negócio. Sempre que um usuário pesquisar uma solução para um problema que enfrenta, a sua empresa estará lá nas primeiras colocações, pronta para ajudar.

E quanto maior o reconhecimento da sua marca, mais fácil fica vender. Afinal, as pessoas preferem comprar e se relacionar com empresas que já conhecem ou confiam.

3. Aumenta o engajamento do público 

À medida que a sua empresa oferece informações úteis e que ajudam o público a resolver os seus problemas, também estimula interações mais significativas com os consumidores.

Eles procuram o blog da empresa para eliminar dúvidas, fazem perguntas ou compartilham materiais interessantes. Ou seja, interagem mais com a marca.

Desta forma, a marca consegue não só mais engajamento com a audiência. Ela conquista o respeito dos consumidores e pode se tornar uma referência no mercado com mais facilidade.

E essa estratégia também beneficia até mesmo quem não compra seus produtos. As informações oferecidas por meio de conteúdos relevantes aumenta a admiração e melhora a imagem da marca no mercado.

4. Educa o público-alvo

Em alguns casos, o público-alvo do seu negócio pode não entender muito bem o mercado em que você atua ou para que servem os produtos oferecidos.

Essa situação pode ser um obstáculo para o sucesso da empresa. Mas com o Marketing de Conteúdo, esse problema não existe!

Com essa estratégia, você consegue produzir conteúdos que respondem às principais dúvidas dos clientes e oferecem informações relevantes sobre os produtos e serviços.

Assim, quando chega o momento da compra, o público estará mais consciente do que está fazendo. E, com isso, terá mais certeza na hora de decidir comprar as soluções da sua marca.

5. Aumenta as vendas

Atualmente, 89% das compras começam com uma pesquisa na internet, de acordo com dados do Vividfish.

Portanto, as chances de uma empresa que investe em Marketing de Conteúdo atrair o consumidor e efetivar as vendas se tornam muito maiores. Só a nutrição de leads gera um aumento médio de 20% nas vendas.

6. Reduz o CAC

O marketing de conteúdo apresenta um custo menor que outros meios de propaganda, como a mídia paga, por exemplos.

Essa características faz com que a empresa acabe pagando menos para adquirir cada cliente. Isso significa que seu CAC (Custo de Aquisição de Clientes) é reduzido, tornando suas campanhas mais lucrativas.

Além disso, o Marketing de Conteúdo é extremamente escalável. Um único e-book ou blogpost é capaz de atingir uma quantidade infinita de pessoas, a todo tempo. Portanto, ele é uma excelente alternativa para reduzir custos com a venda.

7. Melhora o pós-venda

O Marketing de Conteúdo também ajuda a manter o relacionamento com os consumidores aquecido mesmo após a venda.

Através dessa estratégia, a sua empresa consegue oferecer materiais que garantem a fidelização de clientes e mantém a marca na mente do público.

Exemplos não faltam, como FAQ, central de ajuda, um webinar com funções avançadas de um software, uma transmissão ao vivo respondendo dúvidas de clientes ou até um fluxo de e-mail marketing voltado para consumidores.

Como planejar uma estratégia de Marketing de Conteúdo

Fazer Marketing de Conteúdo é muito mais do que criar um blog e começar a postar conteúdos aleatórios. Para ter sucesso nessa estratégia, é preciso planejar com cuidado cada ação que será colocada em prática.

É durante o planejamento estratégico que você irá decidir onde quer chegar com a produção de conteúdo, quais temas serão abordados, o tom de voz ideal, as palavras-chave estratégicas, entre outros detalhes.

E justamente por ser uma etapa fundamental, separamos abaixo todos os passos para você planejar a sua estratégia de Marketing de Conteúdo. Confira:

1. Estabeleça objetivos claros

Escolher um objetivo permite que o seu time de marketing defina quais as métricas precisam ser acompanhas e quais as ações devem ser praticadas para melhorar esses resultados.

Por isso, escolha uma meta clara para nortear todas as suas estratégias. Pense aonde a sua marca quer chegar. Entre os objetivos de uma estratégia de Marketing de Conteúdo, estão:

  • Crescimento do engajamento com a marca;
  • Aumento do brand awareness;
  • Educar o mercado sobre o nicho de mercado da marca;
  • Gerar mais leads e vendas;
  • Diminuir o custo por venda.

Depois de definir o objetivo da sua estratégia, procure traçar quais KPIs, ou indicadores-chave de performance, serão acompanhados.

Escolher os indicadores certos permite acompanhar e medir os resultados das campanhas com mais eficiência. Dessa maneira, fica mais fácil identificar o que está dando certo e quais os pontos que merecem atenção.

Por exemplo, se a sua estratégia inclui a produção de blogposts e o objetivo é aumentar o alcance da marca, indicadores como taxas de retenção e rejeição e tempo de permanência na página são interessantes de analisar. Agora, se o objetivo é usar vídeos para gerar vendas, outros indicadores são necessários.

2. Defina a persona e sua jornada de compra

O objetivo da produção de conteúdo é atrair apenas as pessoas que se encaixam no perfil do cliente da sua empresa. Afinal, você não quer perder tempo com consumidores que não se interessam de fato pela sua oferta.

Por isso, todo planejamento de Marketing de Conteúdo precisa contar com a definição da buyer persona. A persona consiste em uma representação semi-fictícia do seu cliente ideal.

Ela é bastante diferente do público-alvo, que é baseado em uma descrição geral de um grupo demográfico. A persona, por sua vez, é baseada em dados reais das pessoas que consomem os seus produtos e serviços.

Para elaborar uma persona, são realizadas entrevistas aprofundadas para colher dados geográficos e comportamentais, como hábitos de consumo, acesso à informação, problemas enfrentados, entre outros.

Todas essas informações ajudam a entender que tipo de problema os consumidores da marca enfrentam e como eles agem e pensam. Dessa maneira, fica mais fácil criar conteúdos que respondam diretamente a essas dúvidas e entreguem uma oferta de valor.

3. Trace o seu funil de vendas

O funil de vendas permite ilustrar e acompanhar todo o processo de vendas da marca. Desde o primeiro contato com o público até o exato momento em que a venda é concluída.

De maneira geral, esse funil é dividido em três etapas, que representam a jornada do cliente até efetivar a compra:

  • Topo do funil, onde o cliente toma conhecimento do seu negócio;
  • Meio do funil, onde o cliente já começa a considerar o seu negócio;
  • Fundo do funil, onde o cliente toma a decisão de compra.

Ao iniciar uma estratégia de Marketing de Conteúdo, não se esqueça de traçar o funil da sua marca. Dessa maneira, você consegue identificar em qual momento um cliente em potencial se encontra e quais as ações são necessárias para levá-lo para a próxima etapa do funil.

Com o funil de vendas mapeado, o time de marketing conseguirá produzir os conteúdos necessários para atrair visitantes e educá-los sobre o seu negócio, guiando-os ao longo do fundo do funil.

4. Escolha os canais em que atuar

Depois de estruturar a sua persona e traçar o funil de vendas, chegou o momento de escolher em quais canais de marketing distribuir o conteúdo que será produzido.

O segredo para escolher um bom canal é atuar onde a persona está presente. Afinal, não adianta produzir blogposts incríveis se o seu cliente usa, majoritariamente, o Instagram.

Além disso, procure investir apenas em canais aos quais você consiga se dedicar. A sua atuação precisa ter qualidade, caso contrário os resultados serão medíocres e o relacionamento com o público ficará prejudicado.

A seguir, listamos alguns dos principais canais para você distribuir conteúdo e adquirir mais clientes:

a) Blog

Segundo dados do OKDork, blogposts estão entre os conteúdos online mais compartilhados na internet. Não é à toa que esse tipo de canal é prioridade para 53% dos profissionais de marketing, de acordo com relatório State of Inbound.

Um blog funciona como a base da maioria das estratégias de Marketing de Conteúdo, já que esse canal oferece uma série de possibilidades, como:

  • Permite publicar vários formatos de conteúdo, como texto, imagem, áudio, vídeo, infográficos etc;
  • Pode ser totalmente customizado e adequado à identidade da marca;
  • Conteúdos publicados em um blog podem ser compartilhados com facilidade em outros canais;
  • Ajuda a converter leads e gerar oportunidades de negócios.

Mas a maior vantagem desse canal talvez seja o fato de que todo o tráfego gerado por ele pertence à sua marca. Ao contrário do que acontece com redes sociais, onde o tráfego é direcionado para a plataforma, pulverizando um pouco o reconhecimento da sua marca.

b) Redes sociais

Hoje em dia, não dá para falar em Marketing de Conteúdo sem pensar na gestão de redes sociais.

Afinal, são mais de 3 bilhões (não, você não leu errado) de usuários dessas plataformas em todo o mundo. E o Brasil já é considerado o país que mais utiliza sites de relacionamento na América Latina.

Logo, a chance de encontrar o seu público-alvo nas mídias sociais é enorme.

Entre os principais benefícios dessas plataformas, podemos destacar:

  • Ajuda na divulgação e alcance da empresa;
  • Aumenta o engajamento dos seguidores com a marca;
  • Direciona tráfego para o blog da companhia;
  • Gera oportunidades de venda.

Mas não basta criar perfis em todas as plataformas e sair postando conteúdo. Para ter sucesso com Marketing de Conteúdo em redes sociais é essencial estar presente nos canais que os seus clientes já utilizam.

Além disso, é importante estar atento às características de cada plataforma, como formatos de conteúdo e perfil de público. Isso permite à sua marca criar conteúdos mais adequados às características de cada canal, aproveitando todas as suas funcionalidades.

Por exemplo, o Twitter permite publicar textos curtos, de até 280 caracteres. Por isso, é mais indicado para comunicações rápidas e objetivas, como mensagens de suporte. O Instagram, por sua vez, possui um grande foco em publicações audiovisuais e, por isso, é muito utilizado como uma vitrine virtual de produtos.

Tenha isso em mente na hora que escolher as redes sociais ideais para a sua estratégia.

c) E-mail marketing

Ao contrário do que pensam, o e-mail marketing não está morto. Pelo contrário: 95% dos profissionais utilizam essa ferramenta diariamente., segundo dados do SmartData Collective.

Por causa disso, o e-mail marketing é um dos canais mais eficientes para construir e manter um bom relacionamento com leads e clientes.

À medida que o lead avança pelo funil de vendas, o e-mail servirá como meio para que a sua empresa o ajude a resolver problemas e conquiste sua confiança. Por meio do disparo de mensagens regulares, é possível enviar conteúdos relevantes e personalizados para cada contato.

Além disso, o e-mail marketing proporciona um aumento significativo do ROI da sua companhia, já que não custa virtualmente nada disparar uma mensagem.

E com as ferramentas certas, é possível saber com exatidão quantas pessoas receberam, abriram e clicaram em seus comunicados, dando previsibilidade de resultados.

d) Materiais ricos

Os materiais ricos são conteúdos como ebooks, infográficos e whitepapers, que apresentam informações mais completas e informativas que blogposts.

Investir na produção desse tipo de conteúdo é uma maneira de mostrar que a sua marca possui autoridade para falar sobre um determinado assunto. Afinal, para falar com profundidade acerca de um tema, é necessário ter muito conhecimento.

Mas a importância desses materiais é outra: gerar e converter leads, aumentando a base de contatos da marca.

Funciona assim: você produz um ebook matador com dicas para aumentar as vendas. Mas, para ter acesso a ele, o público precisa fazer um cadastro. Esse formulário ajudará você a obter informações valiosas sobre os leads, como nome, endereço de e-mail e até telefone.

Dessa maneira, ficará fácil traçar uma estratégia de nutrição que atraia esses leads para o funil de vendas da sua marca e os guie até a compra.

e) Vídeos

Por fim, mas não menos importante, temos outro canal de marketing muito utilizado: os vídeos online.

O uso de vídeos em uma estratégia de Marketing de Conteúdo permite aumentar a autoridade e o reconhecimento da marca. Além de educar o público e estabelecer uma relação mais íntima com ele.

Além disso, o conteúdo audiovisual é um dos formatos mais populares entre o público, crescendo a cada dia. De acordo com relatório da Cisco, até 2020, 80% de todo o tráfego da internet será de vídeos.

Além da popularidade, existem outras vantagens em produzir conteúdos em vídeo, como:

  • Seu consumo é fácil e se adapta a qualquer dispositivo, de computadores a smartphones;
  • É muito fácil produzir um vídeo de qualidade, mesmo sem contar com equipamentos caros;
  • Conteúdos em vídeo aumentam o engajamento com a marca, tendo até 1200% a mais de chance de compartilhamento, viralizando com mais facilidade;
  • Com as técnicas corretas, permitem estimular emoções e sensações no público;
  • Ajudam a melhorar o ranqueamento dos canais da empresa nos mecanismos de busca.

Ou seja, apostar no vídeo marketing dentro de uma estratégia de Marketing de Conteúdo pode ser o que faltava para turbinar os resultados da sua marca.

5. Planeje conteúdos para as fases da jornada do consumidor

A jornada do consumidor representa todo o caminho que ele percorre até decidir ou não comprar um produto ou serviço. Essa jornada consiste em quatro fases:

  • Aprendizado e descoberta. O consumidor ainda não sabe muito bem que tem um problema e está em processo de descoberta dessa necessidade;
  • Reconhecimento do problema. Depois de entender que possui um problema, o consumidor começa a se informar sobre ele e quais as possíveis soluções;
  • Consideração. Após pesquisar e identificar maneiras de resolver seus problemas, o consumidor começa a pesquisar sobre tendências, produtos e marcas que oferecem algum alívio para a sua dor;
  • Decisão. Munido de todas essas informações, o consumidor avalia qual marca oferece a melhor solução e decide ou não pela compra.

Como deu para perceber, em cada etapa da jornada de compra o consumidor apresenta um nível de conhecimento sobre seu problema e necessidades diferentes. Logo, em cada fase ele precisa de conteúdos diferentes.

Assim, o próximo passo para planejar uma estratégia de Marketing de Conteúdo de sucesso é identifica quais conteúdos produzir para cada etapa. Se você não produzir as peças adequadas, corre o risco de “queimar a largada” ou até de levá-lo ao desinteresse.

Então, observe as seguintes características do conteúdo:

Vídeo marketing 

a) Aprendizado e descoberta

O usuário precisa descobrir qual é o problema que enfrenta e possíveis soluções para ele. Por isso, ainda não é hora de falar abertamente sobre a empresa, mas mostrar que a marca entende as dores pelas quais ele passa.

Afinal, ele ainda não possui um relacionamento com a sua marca e não conhece os produtos e serviços oferecidos.

Nesse sentido, conteúdos mais gerais, que abordem os possíveis problemas da sua persona, são mais recomendados. Blogposts, ebooks e vídeos são formatos ideias nessa etapa.

b) Reconhecimento

Agora que o prospect reconhece o próprio problema, ele começa a pesquisar como resolvê-lo. Aqui, vale apontar possíveis soluções para esse problema. Mas, novamente, nada de citar diretamente a empresa.

Tutoriais, listas e guias ajudam a guiar esses leads para as próximas etapas da jornada, ao mesmo tempo em que fortalecem o relacionamento com a marca.

c) Consideração

Nessa fase, as pessoas já sabem que possuem um problema e têm uma ideia geral de como resolvê-los. Agora, buscam informações mais concretas para solucionar essa necessidade.

Os conteúdos para a etapa de consideração precisam ser mais informativos que os anteriores, entregando mais valor. Também vale citar discretamente a sua marca e as soluções oferecidas.

Entre os formatos de conteúdo mais eficientes nessa etapa estão materiais ricos, blogposts e webinars.

d) Decisão

Agora sim, o consumidor chegou à última etapa antes da compra. Ele já está mais informado e começa a comparar as opções do mercado. Seu papel é criar conteúdos focados na marca e que apresentem as vantagens de seus produtos.

Nesse sentido, depoimentos de clientes, casos de sucesso e vídeos de demonstração de produtos são excelentes. Eles ajudam a fortalecer a autoridade da marca e a converter esses leads em vendas reais.

Como aplicar o Marketing de Conteúdo

Com o planejamento em mãos, é hora de começar a colocar em prática todas as ações de Marketing de Conteúdo. Mas para que os resultados esperados sejam alcançados, é fundamental se manter dentro do que foi planejado.

Essa não é uma tarefa difícil, mas exige alguns passos, que listamos abaixo:

1. Inicie a produção de conteúdo

Como você já deve saber a produção de conteúdo é o centro do Marketing de Conteúdo. Mas criar conteúdo de qualidade e que se destaque dos concorrentes não é tão fácil assim.

Mas alguns fatores ajudam a ter produzir materiais mais relevantes e engajantes:

a) Escolha palavras-chave estratégicas

As palavras-chave são termos ou frases que os internautas utilizam para realizar buscas na internet. A partir desses termos, os mecanismos de busca identificam qual a dúvida do usuário e exibem os principais conteúdos (páginas, vídeos e imagens) que oferecem alguma solução para esse problema.

Mas por que as palavras-chave são importantes para uma estratégia de Marketing de Conteúdo?

Simples. Ao definir uma palavra-chave relevante para o seu negócio, com um bom volume de buscas, aumentam as chances de a sua marca ser encontrada pelo público.

Por isso, escolha esses termos com cuidado e, a partir deles, oriente toda a produção de conteúdo. Mas não se esqueça de construir materiais agradáveis para o seu público, oferecendo uma boa experiência.

b) Defina tamanho e formato para o conteúdo

Outro detalhe que você precisa considerar antes de começar de fato a produzir seus conteúdos é definir um tamanho e um formato para eles. Estabeleça detalhes como número de palavras, estrutura de tópicos, recursos audiovisuais, cores, entre outros.

Isso servirá para orientar o time de marketing na hora de criar os conteúdos futuros e manter a coerência com a identidade da marca.

Mas não fique preso a essa definição. Cada plataforma apresenta suas próprias características, que influenciam em como os conteúdos serão formatados.

Assim, procure variar no formato e tamanho para manter a audiência sempre engajada. Disponibilize ebooks, infográficos, vídeos, webcasts, entre outros.

c) Preste atenção na escaneabilidade

A escaneabilidade diz respeito à facilidade que um conteúdo tem em ser lido pelo usuário. Ou seja, se ele é fácil de entender e atrativo ao olhar.

Antes de consumir um conteúdo, a maioria das pessoas passa o olho para avaliar se vale a pena continuar a leitura. Ou seja, é como se escaneassem o material.

São vários itens que aumentam a escaneabilidade de um texto, como uso de intertítulos, imagens, listas (bulletpoints) e termos de destaque em negrito. Utilize esses recursos para deixar o seu texto mais fácil de ler e mais atrativo.

Outra dica é usar frases cursas e parágrafos curtos. Grandes blocos de texto, com frases intermináveis, cansam o leitor e dificultam a compreensão.

E se o usuário não entende o que está lendo, são grandes as chances de abandonar o conteúdo!

d) Não se esqueça do SEO

Depois de deixar o seu conteúdo pronto, é preciso fazer algumas otimizações para que ele seja encontrado pelo internauta.

E é nesse momento que entra em cena o SEO, ou Search Engine Optimization. Essa estratégia consiste em fazer com que um conteúdo apareça nas primeiras colocações dos motores de busca. E, assim, seja facilmente encontrado pela audiência.

Buscadores como Google e Bing utilizam alguns algoritmos para classificar todos os conteúdos indexados na internet. Quanto mais relevante for o conteúdo, melhor posicionado ele ficará para uma determinada palavra-chave.

E quanto melhor for a colocação de um conteúdo, maiores as chances dele ser acessado pelos usuários. Um relatório do Internet Marketing Ninjas indica que o primeiro lugar costuma concentrar 21% de todos os cliques.

Mas como os algoritmos fazem essa classificação? Bem, como os algoritmos não conseguem “ler” uma página da web, eles buscam por alguns fatores de SEO que indicam a relevância do conteúdo.

Esses fatores incluem:

  • Presença da palavra-chave ao longo do texto de forma orgânica, ou seja com variações que se aproximam da fala;
  • Uso da palavra-chave no título, na meta-descrição, na URL e no alt-text das imagens;
  • Conteúdo escaneável, com bum uso de intertítulos;
  • Bom uso de links internos e externos;
  • Otimização do site para dispositivos mobile;
  • Autoridade da página, entre outros.

Portanto, procure deixar os seus conteúdos otimizados. Dessa maneira, você garante um bom ranqueamento nos mecanismos de busca e atrai tráfego orgânico com mais facilidade.

Mas não são apenas textos que podem ser otimizados. Conteúdos audiovisuais também são analisados pelas ferramentas de busca e classificados de acordo com a relevância. Portanto, fique de olho nos fatores de vídeo SEO.

2. Divulgue o conteúdo produzido

Mesmo que você faça um conteúdo incrível, não pode depender apenas do algoritmo do Google para que o público o encontre.

É fundamental utilizar os canais certos para divulgar os seus conteúdos e alcançar o público-alvo. Uma promoção bem realizada impacta diretamente nos resultados e na eficiência da estratégia.

A seguir, listamos alguns dos canais de divulgação mais utilizados pelos profissionais de marketing para esse trabalho. Confira:

a) Redes sociais

Divulgar um conteúdo nas redes sociais não é só postar o link do blogpost ou do vídeo no Facebook ou em outra plataforma.

O primeiro passo para usar as redes sociais da maneira correta é fazer parte somente das plataformas que o seu público-alvo utiliza. Não adianta usar o Facebook se os clientes da marca estão presentes no Instagram.

Em seguida, é necessário entender que cada plataforma conta com públicos diferentes entre si. Nesse sentido, vale a pena conhecer os formatos que fazem mais sucesso em cada uma, os hábitos de acesso e a linguagem dos usuários de cada rede.

A partir dessas informações, basta criar um calendário de publicações, postando conteúdos sempre nos horários em que os seus seguidores estão mais ativos. E, claro, acompanhar de perto os resultados de curtidas, comentários e compartilhamentos.

b) E-mail marketing

Já explicamos que o e-mail marketing não morreu e continua fazendo sucesso no mundo do Marketing Digital. Mas além de gerar e converter leads, as mensagens eletrônicas também ajudam a promover os conteúdos da sua marca.

O jeito mais fácil de fazer isso é através de uma newsletter. Ela reúne os principais conteúdos produzidos pela empresa em um determinado período de tempo e servem para deixar os assinantes por dentro das últimas novidades do seu negócio.

Mas existem outras maneiras de incluir o e-mail em sua estratégia de divulgação, como disparos específicos para cada etapa da jornada de compra. Nesse caso, é possível oferecer um conteúdo relevante que ajudará o usuário a caminhar pelo funil, como ebooks ou infográficos.

3. Mensure os resultados

Depois de planejar e executar a sua estratégia de Marketing de Conteúdo, o trabalho acabou, correto? Errado! O próximo passo consiste em acompanhar os resultados das ações.

A mensuração dos resultados é muito importante para descobrir o que está funcionando ou não. E, assim, realizar as alterações necessárias para que os resultados sejam alcançados.

Mas não se preocupe. O trabalho de análise não é tão difícil quanto parece. Com o Marketing Digital, é bastante simples acompanhar os indicadores em tempo real. Uma clara vantagem em relação à estratégias de Outbound Marketing.

A seguir, reunimos 2 passos essenciais para medir os resultados das ações com eficiência:

a) Defina a frequência de mensuração

No começo do texto, explicamos que é importante escolher os KPIs mais estratégicos para o seu negócio. Pois bem, agora é hora de definir com qual frequência a mesuração desses indicadores será feita.

Cada métrica possui uma frequência ideal de mensuração, seja diariamente, semanalmente ou mensalmente. Conhecer bem cada KPI é essencial para definir com exatidão qual o período de tempo entre uma mesuração e outra.

Pode interessante checar o tráfego do site da marca diariamente, por exemplo, já que alterações de horas podem impactar o negócio. O mesmo não acontece com o CAC, pois essa métrica apresenta uma estabilidade maior, sem grandes flutuações.

Outro jeito de descobrir a frequência ideal para medir um KPI é realizar um benchmarking com empresas parceiras e especialistas.

b) Calcule o ROI da sua estratégia

O ROI, ou retorno sobre investimento, é uma das métricas mais importantes. Ele serve para medir o quão eficiente é um investimento. Por meio desse cálculo, é possível conhecer a performance de qualquer ação.

É bastante simples calcular o ROI de uma ação de Marketing de Conteúdo. Basta subtrair o quanto você gastou com o quanto você ganhou com a ação. E, em seguida, dividir pela quantia gasta.

Ferramentas de Marketing de Conteúdo

Como foi possível perceber, uma estratégia de Marketing de Conteúdo exige muito planejamento e trabalho. Mas graças às inovações tecnológicas, já existem maneiras de tornar a rotina de trabalho mais simplificado.

Existem diversas ferramentas que permitem automatizar ou agilizar muitas das tarefas mais comuns de marketing. Como automatizar processos, acompanhar métricas e realizar divulgação em massa de conteúdos.

Abaixo, você confere algumas das ferramentas mais conhecidas. Confira:

1. Ferramentas para blog

A menos que você seja um expert em programação, não conseguirá criar um blog do zero. Layout, estrutura de navegação, acompanhamento de acesso, hospedagem… São muitos os itens que eixigem conhecimentos mais avançados.

Nesse sentido, você pode contar com um Content Management System, ou CMS. Essas ferramentas cuidam do gerenciamento de conteúdo e o único trabalho que você terá será publicar os conteúdos e moderar comentários.

Algumas as opções mais populares da internet incluem WordPress e Joomla.

2. Ferramentas de SEO

Otimizar conteúdos dá muito, muito trabalho. É preciso pesquisar palavras-chave, monitorar a concorrência, encontrar oportunidades de ranqueamento, entre outras tarefas. Muitas vezes, essas tarefas podem ocupar mais tempo do que a própria produção de conteúdo em si.

Felizmente, alguns serviços permitem concluir essas tarefas com o apertar de um botão, como SEMrush, Keyword Planner do GoogleAhrefs.

3. Ferramentas de mídias sociais

Atualmente, não dá para pensar em pensar em gestão de redes sociais sem o uso de ferramentas e softwares.

Afinal, é preciso monitorar o alcance e o engajamento, agendar postagens em dezenas de redes ao mesmo tempo, gerar relatórios com os resultados…

Alguns serviços permitem realizar todas essas atividades com mais agilidade e facilidade. Entre elas, estão Hootsuite, Quintly e Buffer.

4. Ferramentas de automação

Gerar e nutrir os leads de uma empresa é outra tarefa que pode se beneficiar de algumas ferramentas digitais.

Com uma ferramenta de automação de marketing, é possível criar fluxos de nutrição assertivos, segmentar a base de contatos, realizar o processo de lead scoring, programar o envio automático de mensagens e muito mais.

Entre os serviços mais conhecidos e utilizados estão RD Station, Hubspot e MailChimp.

5. Ferramentes de monitoramento e mensuração

Como explicamos, monitorar com frequência os resultados é fundamental para o sucesso de uma estratégia de Marketing de Conteúdo.

Entretanto, analisar o volume de tráfego de um blog ou site, descobrir a fonte de aquisição desse tráfego, calcular as taxas de retenção e rejeição manualmente não é uma opção.

Nesse sentido, algumas ferramentas obrigatórias são o Google Analytics e o Power BI. Também é possível encontrar outras alternativas, como PiwikParse.ly e KISSMetrics.

E caso você utilize vídeos em sua estratégia de Marketing de Conteúdo, também pode contar com ferramentas que analisam a performance das suas produções, como o YouTube Analytics.

Conclusão

O Marketing de Conteúdo é uma das estratégias mais eficientes para atrair, converter e conquistar consumidores fieis para a sua marca. Ele se baseia na produção de conteúdos relevantes, que conversem diretamente com o público.

Mas para ter sucesso de verdade, é fundamental planejar cada etapa com cuidado, conhecer a fundo a audiência, analisar a concorrência e acompanhar os resultados.

E com as dicas do nosso guia, você será capaz de traçar ações de Marketing de Conteúdo completas, desde a concepção, execução e monitoramento. E claro, alcançar os resultados esperados com mais facilidade.

Mas não pare por aí. Que tal levar os seus conteúdos para o próximo nível e incluir vídeos no Marketing de Conteúdo da sua empresa?