Marcos Pereira
Por Marcos Vinicius

Descubra o que é Marketing Digital e como colocar essa estratégia em prática no seu negócio

Marcos Pereira
Por Marcos Vinicius

O Marketing Digital pode ser definido como o conjunto de ações que uma empresa ou pessoa executa na internet para divulgar marcas, produtos ou serviços. São diversas as estratégias e ferramentas utilizadas no marketing digital, como Inbound Marketing, Marketing de Conteúdo, SEO e muitas outras.

Como deu para perceber, o Marketing Digital é muito amplo. E embora seja uma estratégia muito popular atualmente, ainda é cercada de dúvidas.

Qualquer ação online pode ser considerada Marketing Digital? Existe uma receita de bolo para o sucesso? Como alcançar os melhores resultados com essa estratégia?

Se você quer descobrir a resposta para essas perguntas, continue lendo este texto e entenda de uma vez o que é Marketing Digital, seus principais benefícios e como implementar essa estratégia da sua empresa.

Com este conteúdo, você aprenderá:

O que é Marketing Digital

Hoje em dia, é praticamente impossível pensar em alguma atividade que não possa ser realizada através da internet. Desde coisas simples, como pedir uma pizza, até ações complexas, como desenvolver um software. Tudo passa pela web.

E com mais da metade da população mundial online, a tendência é que ela ganhe ainda mais espaço em nossas vidas.

E como uma parcela imensa dos consumidores já está online, não é de se espantar que mais e mais empresas desenvolvam ações de divulgação na internet. A todas as ações de marketing planejadas e realizadas em ambientes digitais, damos o nome de Marketing Digital.

Utilizando os diversos canais online disponíveis, como blogs, sites, redes sociais e outros, as empresas tentam se comunicar com clientes e potenciais clientes.

E como a rede é democrática por natureza, o marketing digital pode ser utilizado por qualquer interessado. Pessoas, pequenas empresas, grandes corporações e ONGs são capazes de alcançar ótimos resultados.

Como essa estratégia surgiu

Para facilitar a compreensão, vamos relembrar como encontrávamos e consumíamos informações antes da internet.

Antigamente, quando queríamos saber mais sobre um produto ou serviço, era preciso ir até uma loja e conversar com um vendedor. Ou se informar através das mensagens produzidas pelas marcas, como panfletos, propagandas na mídia, telemarketing etc.

Todas as informações que o consumidor podia acessar sobre produtos e serviços estavam sob o controle das próprias empresas que ofereciam essas soluções. A essas estratégicas, chamamos de Inbound Marketing.

Esse cenário mudou com a internet e agora o consumidor possui um papel muito mais ativo. Basta um clique para acessar todos os dados sobre uma mercadoria.

Algumas pesquisas chegam a apontar que 89% dos consumidores iniciam o processo de compra com uma busca online. Portanto, não faz mais sentido utilizar estratégias de promoção pensadas para o mundo offline no mundo virtual.

O Marketing Digital surge como uma oportunidade para as empresas se conectarem com seu público-alvo na internet com muito mais eficiência.

Benefícios do Marketing Digital

O Marketing Digital mudou profundamente a relação entre empresas e público. E embora seja um tema em alta, sua importância ainda é desconhecida de algumas pessoas. Essa estratégia oferece diversos benefícios para as empresas. Vamos conhecer os principais:

a) Custo

O investimento em marketing online é muito menor quando comparado com estratégias offline. O que acontece é que as mídias tradicionais como rádio, TV, jornais, revistas etc., são mais caras para anunciarem do que a internet.

Esses veículos exigem uma infraestrutura maior para rodarem um anúncio (o jornal, por exemplo, precisa ser impresso e distribuído), enquanto na internet só é preciso ter uma conexão.

Isso é claro, sem contar nos profissionais envolvidos. Pois é comum que um profissional de Marketing Digital consiga criar toda estratégia e aplicá-la sozinho. Já em outras mídias, é humanamente impossível que uma única pessoa faça tudo.

b) Segmentação precisa de público

No marketing online a segmentação é um dos principais fatores que o colocam em vantagem.

Existem diversas ferramentas que permitem a captura de diversas informações sobre os clientes. Com essas informações, as marcas podem traçar um perfil do consumidor mais assertivo e criar ações focadas em atingi-lo.

c) Mensuração de resultados assertiva

Quando a marca cria uma ação online, ela é capaz de mensurar os dados e os resultados da campanha em tempo real e com muito mais precisão. Assim, caso os resultados não sejam satisfatórios é possível fazer ajustes para melhorá-la.

Em outros meios, como a TV, por exemplo, só é possível coletar os dados depois que a campanha está rodando. E, muitas vezes, é preciso passar um longo período desde o início da ação. Ainda assim, nada garante que esses dados terão a mesma precisão de uma campanha online.

d) Empresas de qualquer porte podem investir

Os meios tradicionais são muito caros para se investir, pois como falamos acima, exigem um esforço muito maior para a produção e veiculação. Dessa maneira, comerciais em TV, anúncios em jornais de grande circulação e outdoors costumam ser mídias exclusivas para empresas de grande porte.

Com a internet, por sua vez, é possível criar campanhas de marketing que cabem em todos os tipos de orçamento. Assim, empresas menores e que estão começando no mercado podem investir nessa estratégia e ganhar relevância online.

e) Melhora a comunicação entre público e empresa

Não há barreiras para quem quer se comunicar utilizando o marketing online, pelo contrário. Com ele é possível alcançar pessoas de diferentes perfis, culturas e países.

Pela segmentação, a empresa consegue destacar para qual local, região, público, interesse quer se promover. Dessa forma, ela consegue conversar com quem já a conhece e com quem não conhece também.

Como fazer Marketing Digital

A internet é um universo muito amplo, com possibilidades praticamente infinitas. Por causa disso, existem diversas maneiras de aplicar o Marketing Digital. Apesar disso, algumas estratégias são mais populares e costumam apresentar resultados mais consistentes. São elas:

  • Inbound Marketing
  • Marketing de Conteúdo
  • Otimização de conteúdo para buscadores – SEO
  • Marketing de busca – SEM
  • Email marketing
  • Mídias sociais
  • Mídias publicitárias

Vamos conhecer cada uma com mais profundidade:

1. Inbound Marketing

O Inbound Marketing é outro tema que ganhou bastante popularidade nos últimos anos e pode ser definido como “marketing de atração”.

O objetivo dessa estratégia não é ir atrás do público, como acontece nas técnicas tradicionais de marketing. Com o Inbound, as empresas procuram atrair o consumidor, despertando seu interesses nos produtos e serviços da marca.

E como isso é feito? É muito simples.

Com as ferramentas disponíveis na internet, é possível descobrir quais são anseios do público e os problemas enfrentados por ele. A partir dessas informações, as marcas elaboram ações de comunicação a fim de oferecer uma solução para essas necessidades.

As estratégias de Inbound Marketing são estruturadas em um conjunto de quatro etapas:

  • Atrair tráfego qualificado para os canais da empresa, fazendo com que visitantes se transformem em frequentadores do blog, site ou redes sociais;
  • Converter um número razoável de visitantes em leads, criando oportunidades reais de venda;
  • Fechar compras, através de um relacionamento mais íntimo e próximo com o público;
  • Encantar o consumidor em todas as etapas do processo, incluindo o pós-venda, de modo que ele se transforme em um divulgador da marca.

Todo esse processo é realizado através da produção de materiais relevantes e que consigam responder às dúvidas e problemas do público.

É através desse conteúdo que as pessoas serão capazes de chegar até a empresa. A essa estratégia damos o nome de Marketing de Conteúdo, que veremos com mais detalhes a seguir:

2. Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é uma estratégia focada na publicação de materiais e informações relevantes e valiosas, de modo a atrair, converter e encantar o público.

Como deu para perceber, essa estratégia caminha lado a lado com o Inbound Marketing.

Mas enquanto o Inbound desenvolve ações e caminhos para motivar o cliente a chegar até a marca, o Marketing de Conteúdo fica responsável por informar, orientar e auxiliar o cliente nessa trajetória.

Dessa maneira, na hora de decidir pela compra de um produto ou serviço, ele terá mais chances de escolher a marca que esteve o tempo todo lhe dando suporte.

Mas não basta produzir qualquer tipo de conteúdo. Ele deve responder às dores e anseios do público e abordar questões relacionadas ao mercado de atuação da companhia.

Afinal, as pessoas não querem apenas comprar produtos, mas solucionar problemas. E aquelas empresas capazes de ajudar os internautas, saem na frente.

E como a internet permite uma infinidade de possibilidades, existem inúmeros tipos de conteúdo que a sua empresa pode criar. Entre os mais eficientes e populares, estão:

a) Site ou blog

A publicação de artigos em um site ou blog (como este que você está lendo!) é uma das maneiras mais simples de atrair visitantes. Como é um canal exclusivo da marca, ele permite uma maior liberdade na publicação de conteúdos.

O importante é que as pautas criadas entreguem algum valor para a audiência e possuam regularidade.

b) Redes sociais

As mídias sociais estão entre os canais que mais permitem a interação entre as marcas e sua audiência. Ter uma conta nas plataformas mais populares permite promover uma marca para milhares de pessoas.

Assim como no caso dos blogs, não basta apenas divulgar os produtos da companhia, mas compartilhar conteúdos relevantes para o público. Essa estratégia é capaz de gerar engajamento e posicionar a marca como autoridade de mercado.

c) Materiais educativos

No Marketing de Conteúdo, não basta criar conteúdos para atrair visitantes. Também é necessário oferecer materiais mais aprofundados.

Ebooks, webinars, tutoriais e infográficos são alguns exemplos de conteúdos capazes de responder às principais dúvidas dos seguidores e aproximá-los ainda mais do momento de compra.

d) Vídeos

Os vídeos se transformaram em um dos formatos de conteúdo mais queridos do público. E é fácil entender o motivo. Mais fáceis de entender e com grande poder de atrair e encantar, os conteúdos audiovisuais podem ser vistos em qualquer lugar e dispositivo.

E são bastante versáteis: é possível criar tutoriais, cursos online, realizar seminários ao vivo e até vídeos de demonstração de produtos. Mas não adianta produzir conteúdos incríveis e educativos se o público não for capaz de encontrá-lo na internet. É aí que entra o SEO.

e) SEO

O maior objetivo de uma estratégia de Marketing Digital é fazer com que uma marca seja encontrada pelo público nos mecanismos de busca.

Mas essa não é uma tarefa simples, afinal existem mais de 1,9 bilhão de websites. Para que isso aconteça de maneira orgânica, ou seja, sem investir em anúncios, é preciso aplicar as técnicas de SEO.

O SEO é sigla em inglês para Search Engine Optimization, ou otimização para mecanismos de busca. Essas otimizações mostram aos buscadores que o seu conteúdo é relevante e oferece uma boa experiência para o usuário. E quando feitas corretamente, melhoram a posição da página nos resultados de busca.

Atualmente, os motores de busca classificam as páginas a partir de uma série de fatores de ranqueamento. Eles são divididos nos grupos abaixo:

1. SEO on page

Os fatores de SEO on page são aqueles que podem ser trabalhados dentro do próprio site ou página. Eles permitem aos mecanismos de busca entenderem o seu conteúdo e a relacioná-lo com os termos de busca. Entre os principais fatores de SEO temos:

  • Qualidade e tamanho do conteúdo;
  • Title tag;
  • SEO title;
  • URL do site;
  • Uso de heading tags;
  • Linkagem interna do conteúdo.

2. SEO off page

Já os critérios off page são aqueles externos ao site. São bastante valorizados pelos motores de busca por demonstrarem que a sua página possui autoridade em um assunto. São diversos os fatores de ranqueamento off page, como:

3. SEO no YouTube

As técnicas de SEO não servem apenas para melhor o posicionamento de páginas no Google. Essa estratégia também pode ajudar no ranqueamento dos seus vídeos.

O YouTube é o segundo maior buscador da internet e a plataforma também utiliza diversos critérios para determinar quais os vídeos mais relevantes para os usuários, de acordo com os termos buscados.

Conhecer o que o algoritmo da plataforma usa para “ler” os vídeos é fundamental para conquistar boas colocações. Além dos fatores que já citados, o SEO para YouTube também considera:

  • Palavras-chave no título e descrição do título;
  • Uso otimizado de tags;
  • Presença de legendas;
  • Número de visualizações e comentários.

f) SEM

O SEM, ou Search Engine Marketing, é mais uma das estratégias de marketing digital disponíveis atualmente.

Conhecido por muitos como marketing de otimização de buscadores, o SEM tem como objetivo posicionar um site nas primeiras colocações dos motores de busca.

São duas as frentes que podem ser utilizadas dentro dessa estratégia: resultados orgânicos e resultados pagos.

As buscas orgânicos são trabalhadas pelo SEO, que vimos no tópico anterior. Já as buscas pagas, são utilizados links patrocinados, como Google Ads ou inclusão paga, de modo a exibir um site ou página acima dos resultados orgânicos.

É importante ressaltar que o SEM é uma área bastante ampla, contemplando as técnicas de SEO. Ambas as frentes, buscas orgânicas e pagas, podem ser exploradas em conjunto.

g) Email marketing

Ao contrário do que parece, o Email Marketing ainda é uma das estratégias de divulgação online mais eficientes.

Segundo a HubSpot, empresas que utilizam essa ferramenta são capazes de gerar até 50% mais leads qualificados.

Uma campanha de email marketing pode ser realizada tanto isoladamente, a partir de uma lista de contatos adquirida previamente, como uma ferramenta de Inbound, auxiliando na divulgação e promoção de conteúdos para a audiência.

Se bem utilizada, essa ferramenta permite fortalecer a marca, melhorar a comunicação com clientes e potenciais clientes, capturar leads e aumentar as vendas.

O email marketing é bastante versátil e contempla diversos tipos de mensagens. Entre as principais, temos:

  • Newsletter. São comunicados enviados para todos os contatos da marca e reúnem as principais novidades, notícias e atualizações da empresa.
  • Emails promocionais. Ajudam a divulgar lançamentos ou promover ofertas de produtos e serviços.
  • Emails de nutrição de leads. Consiste no envio de conteúdos relevantes e educativos. O objetivo é auxiliar o lead a caminhar pelo funil de vendas e fechar negócio rapidamente.
  • Emails de campanhas sazonais. São mensagens enviadas em datas comemorativas e ajudam a aproximar a marca dos consumidores, fortalecendo o relacionamento.
  • Emails de ativação de base. Esse tipo de mensagem serve para aumentar o engajamento de clientes inativos, convidando-os a acessar novamente seus produtos e serviços.
  • Informativos e convites. Ajudam na divulgação e promoção de eventos, como palestras, oficinas e seminários.

Existem diversas ferramentas que permitem gerenciar listas de contatos e disparar as mensagens, entre opções gratuitas e pagas.

Não importa a escolha, a chave para o sucesso de uma estratégia de email marketing é aposta na personalização das mensagens, não exagerar na frequência de envios e compartilhar conteúdos relevantes.

h) Mídias Sociais

As redes sociais fazem parte da vida da maior parte dos internautas. Somente no Brasil, 130 milhões de pessoas utilizam essas plataformas.

Não é à toa que as mídias sociais são a ferramenta perfeita para aproximar as marcas do seu público. Com um número tão alto de usuários, a chance de você encontrar os clientes do seu negócio é altíssima.

É possível utilizar as redes sociais de maneira isolada ou como parte de uma ação de Inbound Marketing.

No primeiro caso, essas ferramentas constituem o principal canal de comunicação e interação da marca. É o caso dos influenciadores digitais ou de algumas marcas de roupas ou cosméticos.

Redes como Facebook e Instagram contam com funcionalidades completas e que permitem atrair e reter seguidores e até mesmo vender através da plataforma.

Dentro de uma estratégia Inbound, por sua vez, as redes sociais podem ser utilizadas como suporte na atração e fidelização de seguidores, aumentando o alcance da marca e estabelecendo um canal de comunicação.

Mas não basta ter perfis nas principais redes sociais para obter resultados. Em uma estratégia de Marketing Digital, é fundamental contar com um planejamento estratégico.

Esse planejamento deve incluir as plataformas que serão utilizadas, o conteúdo que será criado e com que frequência será publicado.

Além disso, acompanhar de perto os dados de engajamento e interação é fundamental para determinar se as ações estão surtindo resultado.

i) Mídias publicitárias

Muitas das estratégias que explicamos anteriormente, como o SEO, podem levar um tempo maior para trazer resultados. Um blog ou site não alcança o topo dos resultados de busca da noite para o dia.

Essas ações de médio e longo prazo são adequadas para grande parte dos negócios, mas algumas situações podem exigir resultados mais imediatos. Nesses casos, é possível investir em publicidade paga e alcançar uma parte do público-alvo que, até então, não tinha contato com sua empresa ou produtos.

A publicidade online possui diversas vantagens em relação aos métodos tradicionais, como spots em rádio e TV, anúncios em jornais e outdoors. Por exemplo:

  • Permite segmentar o perfil do público que terá contato com o anúncio (gênero, idade, localização, interesses etc);
  • Melhor custo-benefício, com investimentos iniciais menores em relação à publicidade offline;
  • Permite acompanhar em tempo real os resultados das campanhas.

Existem diversas maneiras de anunciar na internet, como:

1. Google Ads

O Google Ads, anteriormente chamado de AdWords, é uma plataforma de anúncios da Google e uma das mais utilizadas no mundo.

Com essa ferramenta, as empresas têm a chance de se destacarem na internet através da exibição de anúncios de diversos tipos, como:

  • Anúncios na rede de pesquisa. São anúncios exibidos com destaque nos resultados de pesquisa de algumas palavras-chave, antes mesmo dos resultados orgânicos. A grande vantagem é que o anunciante só paga quando o usuário clica no link patrocinado.
  • Anúncios na rede de display. São os anúncios gráficos, como banners, textos e imagens, exibidos em sites, blogs, aplicativos e serviços do Google, que formam a chamada Rede de Display.
  • Anúncios no YouTube. Permite criar anúncios que são exibidos antes e durante a reprodução de vídeos no YouTube.
  • Anúncios de aplicativos. Ajudam a promover aplicativos para usuários de iOS e Android. Esses anúncios são exibidos entre os resultados de pesquisa do Google, no YouTube, Google Play e até em outros sites e aplicativos.

Uma das maiores vantagens do Google Ads é a possibilidade de segmentar o público em detalhes. Dessa maneira, as campanhas são exibidas para os usuários que realmente se interessam pela oferta.

Para anunciar no Google Ads, basta criar uma conta na plataforma, escolher o tipo de campanha, configurar os anúncios e escolher o método de pagamento.

2. Facebook Ads

O Facebook Ads é a ferramenta de anúncios da rede social que permite criar campanhas publicitárias dentro da plataforma.

Ao longo dos últimos anos, o algoritmo do Facebook tem reduzido o alcance orgânico de marcas na plataforma. Dessa maneira, investir em publicidade nesse canal é uma boa estratégia para atingir mais pessoas e aumentar o engajamento.

São 10 tipos de anúncios disponíveis no Facebook, divididos de acordo com o objetivo que a marca pretende alcançar.

Esses objetivos incluem desde o aumento do reconhecimento da marca, promoção de conteúdos, geração de cadastros e até instalação de aplicativos.

Além disso, é possível escolher diferentes formatos de publicidade, como imagens, texto e até anúncios de vídeo.

E ao contrário de outras plataformas de anúncio, quem define o orçamento da campanha é o anunciante. No Facebook Ads, é possível escolher entre três formas de pagamento:

  • Custo por Clique (CPC). Nesse formato o anunciante é cobrado cada vez que um clique é feito no anúncio;
  • Custo por mil impressões (CPM). O pagamento é realizado sempre que anúncio alcançar 1 mil visualizações;
  • Custo por ação (CPA). Nesse modelo, a cobrança só é realizada quando os usuários realizarem uma determinada ação no anúncio.

O Facebook Ads disponibiliza ferramentas avançadas de segmentação de público. É possível escolher dados relevantes sobre o público a ser alcançado, como idade, regão, idioma, gênero, interesses e até comportamento. Essa segmentação é importante para alcançar o público certo e obter bons resultados.

3. Instagram Ads

Acompanhando a tendência das outras redes sociais, o Instagram também lançou sua própria plataforma de anúncios publicitários, o Instagram Ads.

Focado em conteúdo multimídia, essa ferramenta permite, entre outras coisas, divulgar produtos e serviços, aumentar o alcance da marca e estimular o tráfego de usuários para links externos e outras plataformas.

O Instagram Ads permite a criação de diversos formatos de anúncio, como:

  • Imagem. Nesse tipo de anúncio, uma imagem é exibida no feed do público-alvo entre as publicações normais. É ideal para divulgar produtos, fazer ofertas ou contar a história da companhia;
  • Carrossel de imagens. Permite criar um álbum com até 10 imagens e vídeos, que será exibido no feed dos usuários. É um formato excelente para contar histórias em sequência.
  • Anúncios de vídeo. No formato de anúncio em vídeo, os anunciantes podem produzir conteúdos de até 60 segundos, que serão exibidos no feed dos usuários.
  • Stories. Recentemente, a rede social permitiu anunciar nos Stories. Com essa ferramenta, é possível exibir anúncios de imagem e vídeo em meio às Stories tradicionais por 24 horas. Os anunciantes podem, por exemplo, inserir CTAs e links nos anúncios.

A criação de campanhas no Instagram Ads é feita através do Gerenciador de Negócios do Facebook. Nessa ferramenta, o anunciante pode definir o tipo de anúncio e definir um orçamento e segmentar o público para quem a campanha será exibida.

4. YouTube Ads

O conteúdo em vídeo é a grande aposta do marketing digital e um dos formatos mais eficientes de publicidade online. Nesse sentido, temos o YouTube Ads, a plataforma de anúncios da plataforma de vídeos.

Além da impressionante marca de 1,5 bilhão de usuários ativos, o YouTube ainda apresenta outras vantagens para os anunciantes, como:

  • As campanhas podem ser segmentadas, atingindo o público certo e no momento certo;
  • O anunciante possui total controle sobre o orçamento da campanha;
  • Acesso à métricas de desempenho detalhadas e em tempo real.

O YouTube Ads conta com duas formas de anúncio, os TrueView (que podem ser ignorados) e os Bumper Ads (que não podem ser ignorados.

Esses anúncios podem ser exibidos tanto antes e durante a reprodução do conteúdo, como nos resultados de pesquisa da própria plataforma. A escolha do melhor formato dependerá dos objetivos que a empresa espera alcançar com a campanha.

Para anunciar na plataforma, é necessário ter um canal no YouTube e uma conta no Google Ads. Em seguida, basta escolher o orçamento da campanha, segmentar o público-alvo e o formato do anúncio.

5. Remarketing

Outra estratégia publicitária dentro do marketing digital é o remarketing, também chamado de retargeting.

O remarketing tem como principal objetivo atrair novamente para o site da empresa usuários que pesquisaram algum produto ou serviço, mas não finalizaram a compra.

Essa estratégia funciona a partir da coleta de cookies, informações que identificam a ação de um visitante do site.

Assim, ao visitar a página de uma marca, mais anúncios dos seus produtos e conteúdos serão exibidos para o usuário quando ele acessar outros sites.

As campanhas de remarketing podem ser utilizadas na divulgação de produtos e serviços ou ofertas de conteúdo para a audiência da marca.

Com essa estratégia, as marcas podem aumentar a taxa de conversão, melhorar o relacionamento com o cliente e fortalecer a marca no mercado. As campanhas de remarketing podem ser feitas no site ou blog da marca, redes sociais e até mesmo no YouTube.

6. Banners

Dentro do Marketing Digital, os banners estão entre as ferramentas de divulgação mais comuns, presentes em sites, blogs, portais e aplicativos.

O banner é uma peça gráfica para divulgação de um produto ou serviço e pode ou não conter um link direcionando o usuário para outra página.

Pode ser utilizado como complemento às outras estratégias de marketing digital. Com o uso de banners digitais, é possível:

  • Realizar campanhas e promoções
  • Divulgar produtos e serviços
  • Ampliar o número de instalações de um aplicativo
  • Realizar ações de remarketing
  • Impulsionar conteúdos de um blog
  • Aumentar o número de visualizações de um vídeo

Existem muitos tipos e formatos de banners, que podem ser quadrados, retangulares, verticais ou horizontais. Além disso, podem conter apenas texto, imagens, vídeos e até elementos interativos.

Ao criar um banner digital, é fundamental planejar o seu conteúdo e realizar testes A/B para determinar as melhores posições e formatos.

7. Promoção de conteúdo

Como já explicamos, não basta apenas produzir bons conteúdos. É preciso que eles cheguem até o público.

Existem diversas maneiras de fazer com que o público encontre os materiais da sua marca, como redes sociais, otimizações de SEO e mídias pagas.

Mas a promoção de conteúdo não se resume a isso. Entre os meios gratuitos de divulgação que permitem acelerar esse processo, estão:

  • Guest Blogging, que consiste em publicar conteúdos relacionados ao seu negócio no blog ou site de empresas parceiras. Essa tática ajuda a aumentar a autoridade da marca e aumentar o tráfego para a sua página;
  • Parcerias estratégicas com outros produtores para que divulguem os seus conteúdos em outros sites e portais;

Plano estratégico de Marketing Digital

Investir em Marketing Digital pode ajudar a alavancar o seu negócio, gerando mais alcance e autoridade. Entretanto, executar ações sem um planejamento prévio pode levar a erros que seriam perfeitamente evitáveis.

Assim, é fundamental contar com um planejamento estratégico. Esse roadmap ajuda a dar mais segurança na hora de implementar as ações e a identificar pontos de melhoria.

Separamos alguns passos que vão ajudar você a estruturar um plano de Marketing Digital para o seu negócio:

1. Tenha objetivos SMART

Toda estratégia começa com a definição de um objetivo e com o Marketing Digital não seria diferente. O objetivo servirá como um guia para todas as ações que serão colocadas em prática.

Escolher o objetivo correto e passível de ser cumprido, é muito importante. Errar na definição das metas pode comprometer toda a estratégia da empresa.

Para ajudar a fazer a escolha certa, um framework muito utilizado pode ajudar. É o SMART, um mnemônico em inglês que apresenta as características mais importantes de um objetivo de marketing.

Para ser relevante de verdade, um objetivo precisa ser:

  • Specific ou específico: o objetivo precisa ser elaborado com precisão, de modo que todos os envolvidos tenham entendimento sobre ele;
  • Measurable ou mensurável: para o sucesso de uma estratégia, é fundamental ser possível acompanhar e medir as métricas estabelecidas;
  • Actionable ou atingível: a possibilidade de concretizar um objetivo deve ser considerada na hora de escolher uma meta;
  • Relevant ou relevante: as metas estabelecidas precisam fazer sentido e ser relevantes para o seu negócio;
  • Time-bound ou temporal: é preciso estabelecer um prazo adequado e realista para o cumprimento de uma meta.

2. Descubra quem é o seu público-alvo

As ações de marketing, sejam elas online ou offline, têm como principal objetivo estabelecer uma relação com a audiência. Não importa se o objetivo é divulgar um serviço ou vender um novo produto, a sua empresa sempre irá se comunicar com pessoas.

Assim, é necessário conhecer e entender em profundidade o público-alvo do seu negócio e como ele se comporta. E a melhor maneira de conseguir isso é através da definição de personas.

Persona é uma representação fictícia do cliente ideal da sua empresa. Ela reúne informações como nome, idade, gênero, profissão, cargo, interesses, problemas e outras informações que podem influenciar o processo de compra.

Definir as personas do seu negócio ajudam a criar estratégias mais assertivas e que conversam diretamente com o público. Conhecendo os hábitos e comportamentos da audiência, fica fácil determinar quais canais utilizar, o tom de voz mais indicado e o tipo de conteúdo que deve ser produzido.

Dessa maneira, as ações ganham em eficiência e os objetivos da sua estratégia de Marketing Digital são cumpridos com mais facilidade.

3. Escolha as melhores estratégias

O próximo passo é definir em quais estratégias de Marketing Digital investir, como Inbound, Marketing de Conteúdo, campanhas de email ou redes sociais. E para isso é fundamental ter cumprido os dois passos anteriores: escolher objetivos e conhecer o público-alvo.

Por exemplo, suponha que o seu objetivo seja aumentar o número de visitantes de um blog. Além disso, o seu público-alvo é composto por jovens entre 16 e 24 anos, usuários “pesados” de mídias sociais. Portanto, não faria muito sentido apostar em uma estratégia de email marketing.

O ideal, nesse caso, seria combinar ações de Marketing de Conteúdo com divulgação em redes sociais, aumentando o alcance dos conteúdos e direcionando os seguidores para o blog.

Portanto, analise atentamente os objetivos do seu negócio e os hábitos da audiência na hora de escolher as estratégias que serão desenvolvidas.

4. Liste tudo o que irá precisar

Após definir com clareza os seus objetivos e as estratégias, é hora de separar tudo o que é necessário para alcançar todas as metas.

Liste as tarefas que precisam ser realizadas e os recursos necessários, como dinheiro, funcionários, mão de obra, equipamentos, programas etc.

Ter todos os recursos necessários ajuda a visualizar o caminho a ser trilhado e a alcançar todos os objetivos.

5. Elabore um cronograma de ações

Em seguida, é preciso elaborar um cronograma com todas as ações que serão implementadas ao longo do tempo. Isso ajuda a evitar possíveis atrasos e a realocar recursos com mais eficiência.

Faça um calendário, anotando a ação a ser realizada, data de início, recursos necessários e prazo para finalização.

De tempos em tempos, procure acompanhar o cumprimento de cada tarefa. Caso alguma ação esteja atrasada, tente entender qual a causa e, se necessário, realize algumas alterações de modo a facilitar a sua realização.

6. Acompanhe os resultados com frequência

Você se lembra que um dos critérios para escolher um bom objetivo é a possibilidade de ele ser monitorado?

A razão para isso é simples: ações mensuráveis ajudam a determinar se o seu resultado alcançado é positivo ou negativo. E com o marketing digital, é possível até mesmo mensurar em tempo real.

Assim, depois de terminar alguma ação ou tarefa, avalie de perto todos os números, compare-os com resultados anteriores e identifique possíveis pontos de melhoria. Dessa forma será possível repetir os acertos em estratégias futuras e evitar os erros já cometidos.

O primeiro passo para mensurar corretamente os resultados de uma estratégia de Marketing Digital é estabelecer quais dados serão acompanhados. São diversas as métricas do marketing digital. Vamos conhecer quais são as principais delas:

Métricas do Marketing Digital

Como explicamos, uma das maiores vantagens do Marketing Digital é que essa estratégia é totalmente mensurável. Ou seja, é possível documentar e avaliar de perto se as ações estão surtindo o resultado esperado.

Dessa maneira, fica fácil compreender a totalidade da estratégia e tomar decisões baseadas em dados concretos.

Existem diversas métricas que você pode observar, e muitas estão relacionadas à performance de blogs e sites. As mais utilizadas são:

  • Visitantes únicos: indica o número de pessoas que acessam a sua página.
  • Sessões: é o conjunto de interações, como visualizações e cliques na página.
  • Tráfego orgânico e pago: quantidade de sessões originadas de serviços de busca e campanhas pagas.
  • Taxa de rejeição: porcentagem de visitantes que não interagem com o site, como cliques e visualização de outras páginas.
  • Taxa de conversão: número de visitas em relação com o número de conversões.
  • Links externos: volume de links de outros domínios que direcionam para o seu site ou blog.

Entretanto, essas não são as únicas métricas de Marketing Digital que você pode mensurar. Abaixo, listamos outros dados que você pode acompanhar:

1. Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

O CAC representa o investimento médio feito pela empresa para conquistar um cliente.

Por exemplo, se o seu negócio investiu R$ 10 mil para adquirir clientes em um mês e conseguiu 10 clientes, o CAC será de R$ 1 mil. O CAC deve ser calculado mês a mês e é importante considerar variações bruscas.

Por exemplo, ao contratar novos vendedores, o custo de aquisição de clientes aumentará. Afinal, é muito provável que eles não tragam muitos clientes no início. Entretanto, com o passar do tempo esse valor volta a se estabilizar.

2. Receita Mensal Recorrente (MRR) e Receita Anual Recorrente (ARR)

Essas duas métricas ajudam a prever a receita gerada pela empresa e é especialmente útil no caso de negócios que trabalham com SaaS (Software as a Service).

Essa métrica permite avaliar a performance de empresas que comercializam produtos com uma variedade maior de preços ou cujo pagamento é feito por meio de uma mensalidade regular.

Ao calcular a receita mensal e anual recorrente, você consegue identificar o padrão de crescimento de receita da sua empresa com mais assertividade.

3. Custo Por Lead (CPL)

Como o próprio nome indica, essa métrica mostra o quanto é gasto pela sua empresa para gerar um novo lead.

Essa métrica é muito importante de ser medida, afinal a geração de leads é um dos principais objetivos de uma estratégia de Marketing Digital.

Dessa maneira, mensurar o quanto é gasto com cada lead permite observar a eficiência das ações, seus custos e traçar uma projeção de geração de leads.

4. Retorno Sobre Investimento (ROI)

O ROI é uma das métricas mais importantes e medidas do Marketing Digital. É um fator que está diretamente ligado à lucratividade das estratégias digitais da marca.

De maneira geral, o ROI calcula o quanto a sua marca obteve de retorno (cresceu em vendas) com base no investimento realizado. Esse indicador também revela o quando o seu negócio perdeu com o investimento.

A fórmula pode ser calculada assim:

ROI = (receita – custo do investimento) / custo do investimento

Por exemplo, imagine que a receita da sua empresa em um determinado ano foi de R$ 100 mil. No mesmo período, o investimento inicial foi de apenas R$ 10 mil.

Utilizando a fórmula, chegamos à conclusão de que o ROI da sua companhia foi de 9. Ou seja, para cada real investido, o seu negócio lucrou outros 9 reais.

5. Custo Por Aquisição (CPA)

Outra métrica que vale a pena ser acompanhada é o CPA. Mas diferentemente do CAC, a aquisição dessa métrica é definida pela própria empresa. Pode ser um novo contato, um lead ou lead qualificado.

Nesse caso, essa métrica considera o valor do investimento em relação ao número de vendas efetivadas.

Caso o custo por aquisição seja positivo em relação ao preço médio de venda, indica que as ações de Marketing Digital estão surtindo o efeito esperado.

Ferramentas do Marketing Digital

Existem inúmeras ferramentas de marketing digital e todos os dias surgem novas opções. Algumas mais específicas e outras mais completas, mas as principais você vai conferir abaixo.

1. Ferramentas de SEO

Otimizar uma página para os buscadores é uma das bases do Marketing Digital. Felizmente, algumas ferramentas permitem executar um plano de SEO com muito mais facilidade. Confira:

a) Pesquisa de palavras-chave

Essas ferramentas ajudam a sua empresa a identificar a competitividade e volume de buscas de termos estratégicos. Além de encontrar oportunidades de palavras-chave fundamentais para sua estratégia.

Algumas das principais opções para essa função são SEMrush, Ahrefs e Google Keyword Planner.

b) SEO técnico

Os serviços de SEO técnico apresentam funcionalidades variadas e mais específicas, como analisar a autoridade do domínio, identificar e corrigir erros de SEO e encontrar conteúdos duplicados.

Para isso, algumas das ferramentas indicadas são MozBar, Yoast e Google XML Sitemap.

c) Backlinks

Essas ferramentas são essenciais para identificar e analisar a qualidade dos links que o seu domínio recebe. Elas permitem analisar quais desses links devem ser movidos ou redirecionados.

Para isso, é possível utilizar, por exemplo, Google Search ConsoleSEMrush.

2. Ferramentas de análise

São ferramentas e serviços que permitem analisar o sucesso de uma estratégia e os resultados que elas estão alcançando.

a) Análise de métricas

Acompanhar e interpretar métricas é a base para o sucesso de qualquer estratégia de marketing. E não seria diferente com o Marketing Digital.

Algumas ferramentas permitem observar e analisar dados como tráfego, origem das visitas, caminho dos usuários pelo site, entre outros. Entre elas, estão Google Analytics e Kissmetrics.

b) Análise de concorrência

Analisar o que as marcas concorrentes estão fazendo e identificar como aprender com elas pode ajudar o seu negócio a se destacar.

Muitas ferramentas permitem fazer comparativos de dados entre a sua empresa e os competidores. Entre os serviços mais populares, estão SEMrush e BuzzSumo.

3. Ferramentas de Design

O design é um dos aspectos mais importantes de uma estratégia de Marketing Digital. Afinal, a comunicação online se baseia quase que inteiramente em conteúdos visuais. Nesse sentido, usar ferramentas que facilitem a criação de peças é fundamental.

a) Ferramentas de imagem

O visual de um site ou blog é um fator extremamente importante para o sucesso ou fracasso de uma estratégia.

Afinal, se a identidade visual da empresa não for compatível com o perfil do público, dificilmente ela será capaz de gerar conexão com clientes em potencial.

Felizmente, existem diversos serviços que permitem editar, criar e tratar imagens. Entre eles, temos Canva, Adobe Photoshop, Adobe Ilustrator e bancos de imagem como Shutterstock.

b) Ferramentas de vídeo

Os vídeos estão se transformando no tipo de conteúdo mais popular da internet e um dos mais populares entre o público.

Assim, investir em uma estratégia de Vídeo Marketing pode turbinar a sua estratégia e trazer ótimos resultados para a sua empresa.

Existem muitas ferramentas para editar vídeos, adicionar efeitos especiais, criar vinhetas, produzir motion graphics, animações, entre outras possibilidades.

4. Ferramentas de CRO

Outro aspecto importante de uma estratégia de Marketing Digital é acompanhar e entender as conversões do site, blog e demais canais e ações da companhia.

Algumas ferramentas que permitem esse tipo de análise são SumoMe e Hotjar. Elas permitem acompanhar os leads pela jornada de compra e identificar os pontos que precisam de melhoria nos canais de marketing da marca.

5. Ferramentas de automação

Com o passar do tempo, as atividades e ações que os profissionais de marketing precisam desenvolver diariamente aumentou muito. Disparar emails personalizados, acompanhar o trajeto de leads, elaborar conteúdos relevantes, analisar métricas…

Felizmente, diversos serviços permitem integrar e automatizar boa parte do trabalho. Além disso, elas permitem criar testes A/B, elaborar fluxos de trabalho etc. Entre as ferramentas de automação de marketing mais populares, estão HubSpot e RD Station.

6. Ferramentas de redes sociais

As redes sociais se transformaram em um dos pilares do Marketing Digital. E as ferramentas de gestão permitem agendar posts, acompanhar métricas e centralizar a estratégia de diferentes mídias em um só lugar.

Existem muitos serviços desse tipo, mas alguns se destacam dos demais, como Hootsuite, BuzzSumo e Quintly.

7. Email marketing

O email marketing ainda continua sendo uma das bases do Marketing Digital e um dos meios de comunicação mais eficientes para se relacionar com o público.

Mas quando a marca precisa gerenciar milhares de leads de uma vez, a elaboração de mensagens, acompanhamento de contatos e mensuração de resultados pode virar uma tarefa quase impossível.

Nesse sentido, algumas ferramentas podem ajudar, automatizando muitos desses processos. Entre os serviços mais indicados para isso estão Mailchimp, GetResponse e Mailee.

Conclusão

O Marketing Digital não é apenas uma moda passageira. Ele vei para ficar e os resultados das empresas que estão adotando essa estratégia não mentem.

E a chave para que a sua marca também aproveite essa estratégia é a criação de conteúdo relevante e a integração de todas as ferramentas de Marketing Digital.

E entre os conteúdos mais relevantes e eficientes que você pode criar estão os vídeos. Quer saber mais sobre a integração de Marketing Digital e Vídeo Marketing? Então confira o artigo que preparamos sobre o tema.